Música

Tidal vs Spotify e Record Store Day

loading...

Antes de mais cabe-me dar os parabéns ao “recente” magazine “Ideias e Opiniões”, obrigado pela contribuição que têm feito pela divulgação cultural e pela liberdade de opinião aqui presente.

Elogios à parte estamos aqui para falar de música, e este mês vamos abordar dois temas: o Tidal e o Record Store Day. O quê? Para quem não sabe do que estamos a falar, leiam com atenção este artigo.

O Tidal, serviço de Streaming de Alta qualidade, chegou a Portugal, concorrente directo do Spotify, embora a marca sueca, não queira comparações, a verdade é que é inevitável fazê-las, em primeiro lugar explicamos superficialmente o que é o Tidal. Serviço de streaming (distribuição online de dados multimédia, nesta caso concreto de música), que se define como High Fidelity Music Streaming, isto porque assumem que a qualidade sonora é exactamente igual à de um C.D.,  ou seja a maioria das plataformas de streaming, distribui ficheiros comprimidos (ocupam menos espaço), normalmente em mp3, com uma resolução máxima de 320 kbps (kbits por segundo) e isto normalmente só nos serviços premium, os ficheiros no Tidal são apresentados em Flac, com uma resolução igual à de um C.D. comum 1411 kbps.

O Tidal possui mais de 25 milhões de músicas, disponibiliza ainda mais de 75 mil vídeos de música em HD, entrevistas, artigos e playlists elaboradas por jornalistas especializados e convidados. O serviço funciona através do Google Chrome, mas possui aplicações para Windows, Mac, Android e iOS.

Como seria de esperar há algumas contrapartidas, em primeiro lugar, é possível guardar ficheiros para ouvir offline, no entanto os ficheiros ocupam muito mais espaço, em segundo lugar o preço, o Spotify custa €6,99 na versão premium, o Tidal após um período experimental de uma semana passa a disponibilizar uma assinatura mensal no valor de €13,99.

Concluímos que para os ouvidos comuns os serviços tipo Spotify, Google Play ou Music Box são mais do que suficientes, no entanto para os ouvidos mais exigentes o Tidal é a melhor opção.

Mudando de assunto, dia 18 de Abril celebrou-se em todo o mundo o Record Store Day, um evento anual, que se celebra no terceiro Sábado do mês de Abril. O dia foi criado em 2007, para celebrar as lojas independentes de discos, os artistas associaram-se em massa à iniciativa e ano após ano preparam edições especiais e limitadas que são lançadas e vendidas precisamente no Record Store Day. Neste dia as lojas de discos preparam surpresas especiais numa harmonia perfeita entre artistas, discos, lojas e fãs.

O dia foi pensado pelos donos das lojas e inspirado no Free Comic Book Day, surgiu após uma reunião e troca de ideias entre Amy Dorfman, Don Van Cleave, Brian Poehner, Eric Levin, Michael Kurtz e Carrie Colliton. Como já referimos desde cedo os artistas aderiram à ideia e ano após ano cada vez mais músicos se juntam e preparam aparições especiais, contacto directo com os fãs, edições limitadas de vinil e cd, exposições e merchandise especial para coleccionadores. O Record Store Day surgiu nos EUA e resulta hoje em dia de uma parceria do Dept. of Record Stores, a Coalition of Independent Music Stores e a Alliance of Independent Media Stores.

O impacto sentiu-se de imediato sendo um dos dias do ano onde as lojas aderentes registam uma maior afluência bem como um aumento exponencial das vendas.

Todos os anos é convidado um artista de renome para ser o embaixador oficial e ajudar a promover o evento, da lista de embaixadores já fizeram parte os Metallica, Jesse Hughes (Eagles of Death Metal), Josh Homme (Queens of the Stone Age), Ozzy Osbourne, Iggy Pop, Jack White e Chuck D. Este ano o embaixador oficial foi Dave Grohl.

Os eventos foram imensos, desde concertos, DJ Set inesperados, aparição surpresa de artistas, um pouco por todo o mundo.

Este ano as edições limitadas atingiram números record, das inúmeras edições destacamos as seguintes:

Air – Playground Love, vinil de 7 polegadas cor de laranja;

The Black Keys – All Night Long, duas versões da mesma música, uma a cargo dos The Black Keys e a outra por Junior Kimbrough em vinil de 7 polegadas;

Bob Dylan – The Basement Tapes, gravações inéditas, canções originais e cassetes de garagem, o verdadeiro tesouro para os fãs;

Brian Eno – My Squelchy Life, edição raríssima limitada a 750 cópias;

!!! (CHK CHK CHK) All You Writers/Gonna Guetta Stomp, editado em vinil de 1e garagem, o verdadeiro tesouro para os fãs;

Courtney Barnett – Kim’s Caravan / Close Watch, lançado em vinil de 12 polegadas;

Father John Misty – I Love You Honeybear, celebração ao amor com a edição em vinil de 7 polegadas cor vermelha e formato de coração;

Four Tet, Jamie XX, John Talabot e Koreless – Continuum, colaboração exclusiva destes quatro artistas de electrónica, lançado em vinil de 7 polegadas;

Garbage – The Chemicals, duas músicas originais editadas em vinil de 7 colegas laranja florescente;

Metallica – K7 (literalmente uma cassete com a edição limitada da demo “No Life ‘Til Leather;

Ryan Adams – Come Pick Me Up, vinil de 7 polegadas com duas músicas renovadas, “Come Pick Me Up” e “Heartbreaker”;

Swans – Swans Ep, reedição do seu primeiro Ep em vinil de 12 polegadas;

U2 – Songs Of Innocence, edição em duplo vinil;

Vampire Weekend – Step, editado em vinil branco de 12 polegadas;

The White Stripes – Get Behind Me Satan, este disco celebra 10 anos e finalmente será editado em duplo vinil de 12 polegadas, cor vermelho e branco com capa a 3D;

Colectânea – The Walking Dead OST Vol.2, conta com artistas como Portugal.The Man e Sharon Van Etten;

Colectânea – Sun Records Curated by Record Store Day Vol.2, compilação de lendas da música com Johnny Cash, Jerry Lee Lewis e Roy Orbison, entre outros, limitado a 4000 cópias;

No entanto o maior destaque vai para uma reedição da primeira gravação do Rei Elvis Presley, em Janeiro, através de um leilão online, um comprador de identidade desconhecida adquiriu a primeira gravação de Elvis Presley, tendo pagado pela preciosidade a módica quantia de 300.000 dólares, mais de 270 mil euros. A identidade do coleccionador ficou em segredo até que numa entrevista à revista Billboard, Jack White revelou que tinha sido ele o comprador. O disco a que nos referimos, trata-se de um disco de acetato e foi o primeiro de uma série de 24 gravações que “O Rei” fez entre 1953 e 1955, pela Sun Record Company em Memphis. O disco, que o próprio Elvis financiou foi gravado a 18 de Julho de 1953 e dele fazem parte as músicas “My Happiness” e “That’s When Your Heartaches Begin”.

Elvis-Presley’s-First-Recording-Acetate-1953

A boa notícia, é que Jack White sabe que nem todos os fãs podem pagar essa quantia, e assim sendo foi reeditado em vinil, pela sua própria editora, a “Third Man Records”, e lançado, 18 de abril, como celebração do Record Store Day, o processo de conversão merece destaque com um vídeo demonstrativo, onde podemos apreciar, ver e ouvir o som da relíquia, de referir também o ar apreensivo de Jack White, também não era para menos, não é todos os dias que temos um disco de 300 mil dólares na mão.

Os coleccionadores podem consultar a lista completa de edições especiais aqui.

Portugal como seria de esperar não ficou de fora da celebração, e foram diversas as lojas espalhadas pelo país que aderiram ao Record Store Day, oferecendo descontos especiais, passatempos e concertos.

Este artigo é a nossa forma de nos juntarmos a esta celebração, no entanto relembramos que as lojas de discos não se encontram apenas abertas no Record Store Day, que dura apenas um dia, estas lojas estão abertas mais de 300 dias por ano, visitem-nas e não as deixem morrer.

Voltamos no próximo mês até lá não se esqueçam de ouvir boa música.

Click to comment

Mais Lidos

loading...
To Top