Música

Nos Primavera Sound

loading...

O Nos Primavera Sound regressa a Portugal em 2015, e assume-se novamente como a Meca da música alternativa. Neste artigo vamos apresentar o festival e falar um pouco de tudo, desde o programa, possíveis setlists, concertos a não perder, entre outros assuntos preparem-se para conhecer o Primavera Sound.

História – O Primavera Sound é um festival espanhol de música alternativa, que destaca ainda o que de melhor se faz no panorama independente, realiza-se há catorze anos em Barcelona, primeira edição em 2001, e por lá já passaram nomes como: Arcade Fire, The National, Sonic Youth, Smashing Pumpkins, The White Stripes, New Order, Iggy and The Stooges, The Cure, Blur, Pet Shop Boys, Pavement, Pulp, Portishead, Primal Scream, Lou Reed, Neil Young, Pixies, Echo and The Bunnymen, Cat Power, My Bloody Valentine, Marianne Faithfull e Mazzy Star, entre tantos outros. Por cada edição passam em média mais de 100.000 pessoas nos três dias de festival.

Primavera Sound Porto – Em 2012 o festival internacionalizou-se e chegou a Portugal mais concretamente à cidade do Porto, no cenário idílico do Parque da Cidade, desde a primeira edição que o festival faz a junção perfeita entre a natureza e a música, onde nada é deixado ao acaso, para se ter noção o próprio design dos palcos é cuidado de forma a ser uma continuação harmoniosa da natureza envolvente. Afirmo mesmo que é o festival perfeito para quem se sobrepõe à moda dos festivais de verão e procura unicamente boa música, assim não é de espantar que no primavera sound os brindes praticamente não existem e quando existem são por exemplo uma toalha de pic-nic para se poder descontraidamente aproveitar uma pausa para refeição no meio dum maravilhoso jardim, ou sacos de reciclagem para preservar e diminuir a agressão ao meio ambiente resultante de três dias de festival. As rodas gigantes estão fora de questão os slides como é óbvio ficam destinados a outro tipo de festival, ali o objectivo principal é só um a Música e a música por si só. Não pensem que as diferenças se ficam por aqui, passamos agora às típicas barraquinhas de comércio, é claro que existem mas estão destinadas a projectos de empreendedores da própria cidade. Nem tudo é perfeito é certo, por exemplo a entrada de comida e bebida é expressamente proibida, o que em tempo de contenção financeira não ajuda, no entanto não pensem que vão ter à vossa disposição grandes cadeias de fast-food, as pizzas, os hambúrgueres, os cachorros, as batatas fritas de pacote ou os kebabs, terão por outro lado comida típica da cidade e do país através de casas e tascas de renome e projectos inovadores da área alimentar da cidade, a oferta é muita, diversificada e de qualidade acima da média para este tipo de eventos. No entanto as diferenças não se ficam por aqui, a oferta a nível de bebidas também é mais ampla e não se resume a cerveja, até porque o autor deste artigo faz parte de uma minoria estranha que não gosta de cerveja e que durante anos passou maus bocados nos festivais de verão por não ter alternativa com álcool, assim o grande destaque vai para a possibilidade de beber um bom copo de vinho, servido num copo de vidro como assim deve ser (espantem-se, ouviram bem, copo de vidro), através dos Douro Boys, projecto que reúne cinco dos mais conceituados produtores de vinho do Douro.

A nível de ambiente, como seria de esperar também é diferente, a organização tem um cuidado extremo para que a experiência seja o mais perfeita possível e para isso recorrem a pormenores que possivelmente são imperceptíveis ao festivaleiro mais comum, a música ambiente não existe, os constantes anúncios publicitários e mensagens que passam constantemente nos ecrãs gigantes durante intervalos de concertos aqui não existem, a diferença é que em outro qualquer festival chegamos ao final do dia exaustos e aqui o objectivo é chegar ao final do dia e pensar: “Isto já acabou, por mim continuava aqui mais umas horas”, ou seja o ruído paralelo é diminuído. Por fim o festival decorre em quatro palcos, sendo que ao contrário dos outros festivais os dois palcos principais situam-se lado a lado, e como é óbvio sem concertos simultâneos entre si, assim quando acaba um concerto no palco principal, começa o próximo no palco secundário, os ecrãs gigantes do palco que de momento se encontrar sem concerto, está a passar as imagens do palco vizinho, são pormenores, mas fazem toda uma diferença.

Bilhetes – Actualmente após ter findado o prazo de bilhetes a preço reduzido, os passes gerais estão à venda por €105, nos locais habituais.

Primavera Nas Virtudes – A cidade abre-se de corpo e alma ao espírito do festival e assim realiza-se no passeio das virtudes, uma espécie de aquecimento com entrada gratuita, dia 3 de Junho às 18:30 concertos de Cícero e Regula.

nos pp

Mini Nos Primavera Sound – A crianças não são esquecidas e como de pequenino é que se treina o gosto pela música, nada melhor do que um dia inteiro com programação dedicada aos mais novos, desde concertos, workshops, actividades, jogos e experiências inesquecíveis sempre com a música em pano de fundo. Este ano o Mini Nos Primavera Sound realiza-se dia 24 de Maio, Domingo, também no parque da cidade e o mais novos podem contar com concertos de B Fachada, Clã e Noiserv, a entrada é gratuita, vai haver uma tenda para crianças e pais poderem conviver e repousar protegidos do sol, vai haver ainda um “parque de estacionamento” para triciclos, bicicletas e carrinhos de bebé. Os workshops ficam a cargo da:

“Casa da Guitarra” – onde haverá um atelier de ukeleles, onde as crianças serão incentivadas a tocar e fazer melodias, poderão ainda acompanhar o processo de fabrico de guitarras e outros instrumentos didáticos;

“Holy Nothing e Rui Monteiro” – onde o público jovem participará activamente na elaboração de uma instalação artística, que resulta da combinação da banda de electrónica Holy Nothing com o artista plástico Rui Monteiro;

“Melopeia” – onde os participantes serão convidados a participar de uma orquestra sonora;

“Missom Baquetas” – atelier onde experimentarão diversos instrumentos e baquetas, bem como será apresentada uma iniciação ao Cájon (instrumento de percussão tipo caixa de madeira).

Palcos – Palco Nos (principal) e Palco Super Bock (secundário), ambos dedicados aos nomes mais importantes do cartaz; Palco ATP (All Tomorrow’s Parties), dedicado à programação mais experimental e Palco Pitchfork, dedicado a nomes emergentes da música alternativa internacional.

NPS15_Site_Mapa_720x373px_pt 

Cartaz 20154 de Junho: Bruno Pernadas, Caribou, FKA twigs, Interpol, Mac de Marco, Mikal Cronin, Patti Smith (acústico) e The Juan MacLean (live);

5 de Junho: Antony and the Johnsons, Ariel Pink, Banda do Mar, Belle & Sebastian, Electric Wizard, Giant Sand, José González, JUNGLE, Marc Piñol, Movement, Pallbearer, Patti Smith, Run The Jewels, Spiritualized, Sun Kill Moon, The Replacements, Twerps, Viet Cong, Yasmine Hamdan, Younghusband;

6 de Junho: Babes in Toyland, Baxter Dury, Damien Rice, Dan Deacon, Death Cab For Cutie, Einstüzende Neubauten, Ex Hex, Foxygen, Health, Kevin Morby, Manel Cruz, Ought, Pharmakon, Ride, Roman Flügel, Shellac, The KVB, The New Pornographers, The Thrston Moore Band, Underworld e Xylouris White.

Concertos Imperdíveis e Set Lists Prováveis:

FKA twigs: a estreia em Portugal de Tahliah Debrett Barnett, cantora e compositora e produtora inglesa de trip-hop espantou o mundo inteiro com o seu maravilhoso disco de estreia, LP1, que fez parte de praticamente todas as listas de melhores álbuns de 2014, também tem dado que falar pelo seu recente relacionamento com o actor Robert Pattison.

https://www.youtube.com/watch?v=3yDP9MKVhZc

A setlist provável:

  1. Preface
  2. Video Girl
  3. Give Up
  4. Figure 8
  5. Papi Pacify
  6. Water Me
  7. Glass & Patron
  8. Numbers
  9. Pendulum
  10. Two Weeks
  11. How’s That

Interpol: o regresso a Portugal após diversos concertos no nosso país, no entanto um concerto de Interpol é sempre memorável, desta vez a banda americana de indie-rock traz na bagagem o último álbum, El Pintor, que mereceu críticas extremamente positivas, no Nos Primavera Sound Paul Banks e companhia vêm provar que continuam em excelente forma.

https://www.youtube.com/watch?v=-u6DvRyyKGU

Set List Provável:

  1. Say Hello to the Angels
  2. Anywhere
  3. My Blue Supreme
  4. Evil
  5. Leif Erikson
  6. Breaker 1
  7. Rest My Chemistry
  8. Everything Is Wrong
  9. The New
  10. Narc
  11. Hands Away
  12. Not Even Jail
  13. Pioneer to The Falls
  14. Slow Hands
  15. Untitled
  16. Lights
  17. All the Rage Back Home

Antony and the Johnsons: ninguém fica indiferente à voz de Antony Hegarty e à sua banda de art pop, também já deram diversos concertos no nosso país, para quem ainda não teve a oportunidade de os ver, esta é a altura perfeita, porque o cenário será sublime. O último disco foi editado no já longínquo ano de 2010, Swanlights. Em relação à Set List será uma surpresa porque desde 2014 que não dão concertos e este ano têm apenas três concertos agendados, por isso trata-se mesmo de um privilégio a presença no Primavera Sound Porto.

https://www.youtube.com/watch?v=I-Xdm5yS6PY

Belle & Sebastian: banda que de certo dispensa apresentações para muitos, no entanto trata-se de uma banda de indie pop/baroque pop proveniente da Escócia, que conta com uma carreira de quase 20 anos, já editaram nove discos de estúdio, o último dos quais este ano após um interregno de cinco anos, Girls in Peacetime Want To Dance. Não é todos os anos que os Belle and Sebastian vêm a Portugal, por isso esta oportunidade é imperdível, será com certeza um concerto memorável e cheio de amor.

https://www.youtube.com/watch?v=3vS1Hf3CVGs

Set List Provável

  1. Nobody’s Empire
  2. I’m a Cuckoo
  3. The Party Line
  4. The Book of You
  5. I Want the World to Stop
  6. Perfect Couples
  7. Lord Anthony
  8. Enter Sylvia Plath
  9. Sukie in the Graveyard
  10. The Boy With the Arab Strap

JUNGLE: colectivo musical de música soul na vertente dançável, formaram-se em 2013 e em 2014 lançaram álbum homónimo que se tornou um dos melhores do ano transato, estreiam-se em Portugal para um concerto que promete ser estonteante.

https://www.youtube.com/watch?v=BcsfftwLUf0

Set List Provável

  1. Platoon
  2. Julia
  3. Crumbler
  4. The Heat
  5. Smoking Pixels
  6. Accelerate
  7. Son of a Gun
  8. Lucky I Got What I Want
  9. Drops
  10. Busy Earnin’
  11. Time

Patti Smith & Band perform Horses: um dos momentos mais históricos desta edição, a lenda viva do punk rock americano, uma das mais influentes artistas musicais e activistas, actualmente está com 68 anos, mais de 40 de carreira e vem ao parque da cidade no Porto tocar na íntegra o álbum Horses o seu disco de estreia lançado a 13 de Dezembro de 1975.

https://www.youtube.com/watch?v=FPwOfwhpiW8

Death Cab For Cutie: verdadeira instituição do indie-rock americano, já contam com dez álbuns de estúdio, têm uma verdadeira legião de fãs por todo o mundo, e após o concerto cancelado em 2012 neste mesmo festival devido às condições climatéricas, o regresso é mais do que ansiado.

https://www.youtube.com/watch?v=pq-yP7mb8UE

Neste caso concreto a set list será difícil de prever, mas deverá contudo conter as seguintes músicas:

  1. I Will Possess Your Heart
  2. Crooked Teeth
  3. The Ghosts of Beverly Drive
  4. Black Sun
  5. You Are a Tourist
  6. The New Year
  7. Cath…
  8. Soul Meets Body

Ride: uma das mais importantes bandas inglesas que emergiram da brit pop, estiveram no activo de 1988 a 1996, e reuniram-se em 2014, a reunião passa por Portugal no dia 6 de Junho, rara oportunidade para poder voltar a vê-los.

https://www.youtube.com/watch?v=Q4JZIfx36Bg

Set List Provável:

  1. Polar Bear
  2. Seagull
  3. Like a Daydream
  4. Unfamiliar
  5. Cool Your Boots
  6. Chelsea Girl
  7. Dreams Burn Down
  8. Time of Her Time
  9. Chrome Waves
  10. Paralysed
  11. Taste
  12. Vapour Trail
  13. Drive Blind
  14. Leave Them All Behind

Se Por Acaso da Vida Só Poder ver um Concerto:

 

Damien Rice: absolutamente imperdível, nunca se sabe se será uma oportunidade única para ver o cantor e compositor escocês, personalidade conturbada, músicas intensas com letras que nos arrepiam, quando edita um disco é “feriado nacional” e sempre que entra em tour o mesmo facto torna-se histórico devido aos pouquíssimos concertos que dá, em 15 anos editou três discos e todos eles memoráveis e verdadeiras pérolas, 2002, “O”, 2006, “9” e 2015 “My Favourite Faded Fantasy”. Tornou-se mundialmente conhecido com o êxito planetário “The Blower’s Daughter”, da banda sonora de Closer, mas Damien Rice é muito mais que isso é um artista único, e que com certeza vai dar um dos melhores concertos do Nos Primavera Soun, e irá conseguir provar que é possível ter uma plateia de festivaleiros em silêncio e rendidos à sua actuação, Poucos sabem que Damien Rice já actuou em Portugal no longínquo ano de 2003, assegurando na altura a primeira parte dos Lamb no então denominado Pavilhão Atlântico.

https://www.youtube.com/watch?v=5YXVMCHG-Nk

Set List Provável:

  1. Delicate
  2. Woman Like a Man
  3. Elephant
  4. It Takes a Lot to Know a Man
  5. I Remember
  6. The Box
  7. The Greatest Bastard
  8. Coconut Skins
  9. Amie
  10. Eskimo
  11. Volcano
  12. Cannonball
  13. 9 Crimes
  14. I Don’t Want to Change You
  15. The Blower’s Daughter

Nota: Na hora de fecho deste artigo ainda não são conhecidos os horários das actuações, os mesmos devem sair durante a próxima semana. Voltamos no próximo mês, até lá não se esqueçam de ouvir boa música, já agora para quem vai ao Nos Primavera Sound, gostariamos de saber posteriormente a vossa experiência. Bom Festival

1 Comment

Mais Lidos

loading...
To Top