Música

Músicas Que Talvez Não Saiba Que São Covers (Parte 2)

loading...

Olá a todos, o prometido é devido e este mês regressamos ao tema que abordamos na edição anterior, “músicas que talvez não saiba que são covers”. Os destaques são muitos e vão desde The Beatles a Nina Simone, passando por Pet Shop Boys!

Começamos com, provavelmente a maior banda de sempre, The  Beatles, possuidores de um repertório sobejamente conhecido, no entanto o que muitos poderão desconhecer é que alguns dos seus maiores singles são covers de outros artistas, um desses exemplos é “Twist and Shout”, canção produzida por Phil Spector e gravada pelos The Beatles em 1963, inserida no disco de estreia Please Please Me.

No entanto “Twist and Shout”, foi gravada originalmente em 1961, para a banda the Top Notes, com o título de “Shake it up Baby”, no ano seguinte a banda americana de Rock’n’roll The Isley Brothers, realizou a primeira cover, contudo foi na voz de John Lennon e companhia que se tornou mundialmente conhecida.

Nina Simone, nome maior da história da música e da própria história mundial, gravou um dos seus maiores sucessos, “Feeling Good” em 1965, parte integrante do disco I Put a Spell on You. 

Poucos saberão que esta brilhante canção foi escrita por Anthony Newley (cantor e compositor, que compôs inúmeros musicais na sua carreira) e Leslie Bricusse (compositor de inúmeros musicais entre eles Peter Pan e Willy Wonka and The Chocolate Factory), para integrar o musical “The Roar of The Greasepaint – The Smell of the Crowd”, em 1o64.

Mudamos agora completamente de estilo musical, e passamos para o reggae dos ingleses UB40, e para um dos seus maiores sucessos, falamos de “Red Red Wine”, inserido no álbum de versões Labour of Love (1983, mas gravada em 1982).

Apesar de inserido num disco de versões muitos desconhecem que “Red Red Wine” é um original do ícone da música americana Neil Diamond, composta e escrita pelo próprio em 1967 e inserida no lado A do seu segundo disco de originais Just for You. Na voz de Neil Diamond a música ganha um recorte mais fino e definitivamente mais pop.

Robbie Williams, o ex-Take That, possui já uma carreira a solo e respeito mas um dos seus primeiros sucessos, trata-se de uma versão, “She’s the One”, gravada em 1998, encontra-se no seu segundo disco a solo, o mui bem sucedido I’ve Been Expecting You, e foi o quarto single a ser extraído.

“She’s the One”, é mais um exemplo de uma versão que se tornou mais famosa do que a original, que foi escrita no ano anterior por Karl Wallinger (ex The Waterboys), para a sua banda de rock alternativo World Party. Quinta faixa do quarto disco da banda inglesa, este é um dos casos em que tanto a versão original como a cover têm uma sonoridade muito similar.

Apresentamos agora um caso que gerou muita controvérsia que incluiu batalhas judiciais e acusações de plágio, referimo-nos a “Bitter Sweet Symphony”, o maior êxito da carreira dos britânicos The Verve. Banda de rock alternativo que teve o seu momento dourado na década de noventa muito graças a esta extraordinária canção, que fazia parte do terceiro disco Urban Hymns. 

A polémica surgiu devido a este original de Andrew Loog Oldham, “the Last Time”, baseado na música homónima dos The Rolling Stones. Andrew Loog Oldham foi manager da banda de Mick Jagger e realizou esta adaptação orquestral mais de três décadas antes. Podem ouvir e tirar as vossas conclusões, nós não temos dúvidas.

“Always on my mind”, apesar de ter recebido inúmeras covers foi celebrizada pelos Pet Shop Boys, em 1987 e inserida no terceiro disco da banda inglesa Introspective. Entre as diversas versões desta música é obrigatório destacarmos a de Elvis Presley em 1972.

Como referimos anteriormente “Always on My Mind”, dos Pet Shop Boys trata-se de uma versão a partir de uma música country americana escrita em 1972 e interpretada pela primeira vez na voz de Brenda Lee cantora americana que combina pop, rockabilly e country.

Os The Fugees foram um grupo de hip-hop, com influência reggae e soul que atingiram o pico do sucesso na década de 90, mais concretamente em 1996, com a edição do seu segundo e último disco The Score, que continha o mega sucesso “Killing Me Softly With His Song”

Na verdade a versão dos Fugees é apenas mais uma uma das diversas covers que esta música teve direito. O original contudo, foi composta por Charles Fox e valeu-lhe um grammy, para melhor música do ano. A primeira interpretação gerou muita controvérsia e disputa, no entanto foi confirmado que a primeira vez que o mundo ouviu “Killing Me Softly With His Song” foi na voz da cantora e compositora americana Lori Lieberman em 1970/71.

Lenny Kravitz, interpretou “American Woman”, para a banda sonora do filme “Austin Powers: The Spy Who Shagged Me”, e rapidamente se tornou um êxito. Kravitz fez uma versão que embora rock, é mais suave do que a versão original.

A versão original foi composta uns anos antes, em 1970 pela banda canadiana de rock psicadélico The Guess Who, e integrou o sexto registo da banda com título homónimo. “American Woman”, foi produzida por Jack Richardson, que produziu temas para artistas de renome como Bob Seger, Alice Cooper e Manowar.

Os Faith No More, são uma banda americana de rock alternativo com forte carga experimental, no entanto um dos seus maiores sucessos é uma versão “Easy”,  e consta do quarto disco da banda liderada pelo carismático Mike Patton, Angel Dust. “Easy” foi o quinto single a ser apresentado e tornou-se um sucesso imediato, decorria o ano de 1992.

O original de “Easy, é bem mais antigo e data de 1977, foi escrita por Lionel Richie, para os Commodores. Podemos encontrá-la no quinto álbum da banda, editado pela prestigiada e mítica editora Motown, que assinou obras de nomes como Marvin Gaye, The Supremes, Stevie Wonder, The Jackson 5 e Michael Jackson, entre tantos outros.

Esperamos que tenham descoberto algumas curiosidades e prometemos voltar no próximo mês com a conclusão desta lista de músicas que talvez não saibam que são covers. Até lá não se esqueçam de ouvir boa música.

Click to comment

Mais Lidos

loading...
To Top