Entretenimento

Jon Stewart – A Despedida de um Ícone

loading...

Jon Stewart abandona esta quinta-feira, dia 6 de Agosto, o programa de sátira política mais conhecido do Mundo, o “Daily Show”! A decisão já tinha sido anunciada há alguns meses (mais concretamente a 10 de Fevereiro), mas nem assim custa menos ver um ícone como Stewart a abandonar o programa que o levou ao estrelato. Ao longo de quase 17 anos, Jon Stewart conseguiu tornar-se uma referência para os americanos e não só. Mas no caso dos americanos, Stewart conseguiu tornar o Daily Show um dos programas noticiosos mais vistos pelo público, conseguindo quase lutar taco a taco com o maior canal noticioso americano, a Fox News.

Jon-Stewart

Comecemos antes de mais por falar do “Daily Show”. O Daily Show é, como já referi, um programa de sátira política e também um talk-show, do qual Jon Stewart é apresentador. O Daily Show começou em 1996, mas não foi Stewart, o primeiro a apresentar o programa. Essa missão ficou a cabo de Craig Kilborn, também ele um comediante. Só em Dezembro de 1998 é que Jon Stewart começou a apresentar o programa tornando-o mais focado na política. Foi também em 1998 que o programa se passou a chamar “The Daily Show with Jon Stewart”, nome que ainda mantém, embora seja essencialmente conhecido apenas por “Daily Show”.

Este programa teve já três spin-offs nos EUA, que é o mesmo que dizer que três programas basearam-se no Daily Show. São eles, o The Colbert Report, o Last Week Tonight e o The Nightly Show with Larry Wilmore. No caso destes três programas os apresentadores dos mesmos foram colaboradores, e escritores, do Daily Show. Pode-se assim afirmar que o Daily Show foi a rampa de lançamento para Stephen Colbert, John Oliver e Larry Wilmore. Teve também spin-ofsf em Portugal, o Gato Fedorento Esmiúça os Sufrágios, programa português que o grupo de comediantes fez para comentar e analisar as eleições legislativas e autárquicas de 2009. Actualmente existe no Canal Q, o programa Inferno cujo formato é semelhante ao do Daily Show. Percebe-se assim a dimensão que teve, e tem, e a responsabilidade de fazer as coisas bem é enorme. Até ver, todos os spin-off tiveram sucesso, especialmente os norte-americanos.

Sob a liderança de Jon Stewart, o Daily Show recebeu várias nomeações para vários prémios, tendo mesmo ganho alguns. De 2001 a 2012, o “Daily Show” ganhou 18 Emmys para as categorias de “Melhor Programa de Variedades, Música ou Comédia” e “Melhor Escrita num Programa de Variedades, Música ou Comédia”. No caso da primeira categoria o Daily Show venceu por 10 anos consecutivos, entre os anos de 2003 e 2012. O Daily Show foi ainda premiado pela Associação de Críticos Televisivos e pela GLAAD (Gay and Lesbic Alliance Against Defamation). A Revista TIME reconheceu ainda o Daily Show como um dos 100 melhores programas de televisão de sempre.

Muitas vezes Jon Stewart e o “Daily Show” foram duramente criticados por fazerem só piadas e acabarem por não informar o espectador, isto apesar do próprio programa ser apresentado como um programa de notícias falsas, ao fazer referencia a acontecimentos políticos recentes e utilizar a sátira como a sua maior arma. Contudo, segundo um estudo feito pela Universidade do Indiana em 2006, o Daily Show tem practicamente a mesma quantidade de informação que os noticiários normais. E concluía ainda que é devido ao facto de estes programas se dedicarem mais ao infotainment que à disseminação de informação que apresentam practicamente a mesma quantidade de informação. Ou seja, as acusações que vários canais televisivos informativos faziam (e fazem) ao Daily Show são completamente descabidos, tal como foi concluído pela Universidade do Indiana.

Jon Stewart conduziu o programa durante quase 17 anos e durante esse tempo viveu momentos fenomenais, mas também alguns menos bons. Sem dúvida que a campanha Presidencial nos Estados Unidos fica mais interessante quando comentada pelo pivô, mas as várias tragédias que aconteceram nos EUA e no Mundo não foram deixadas de fora, como foi o caso do 11 de Setembro, o ataque à redacção do Charlie Hebdo, o massacre numa igreja em Charleston ou até o terrorismo e a invasão militar no Iraque e Afeganistão. E ao analisar, comentar e fazer piadas sobre os vários assuntos ao longo dos anos, Stewart começou a ter alvos preferenciais.

trump_stewart_

 Um deles é até aos dias de hoje, a personalidade mais gozada no Daily Show por Jon Stewart ou pelos seus colaboradores. Essa personalidade é Donald Trump, que quer pelo seu cabelo, quer pelas suas acções ou até pelas suas declarações foi criticado e satirizado. Outro dos alvos preferenciais é Bill O’Reilly, jornalista da Fox News, que chegou inclusivamente a ir ao Daily Show algumas vezes. Outro dos alvos foi a própria Fox News, que também fez de Jon Stewart um alvo. A administração de Bush foi também bastante satirizada durante o seu mandato. Mas nem só de personalidades ou canais de televisão são feitos os alvos de Jon Stewart, uma loja americana chamada Arby’s também foi bastante satirizada no Daily Show.

Ao longo dos anos em que Jon Stewart esteve à frente do Daily Show foram vários os colaboradores/correspondentes que deixaram a sua marca no programa. Alguns dos nomes que vou referir a seguir devem ser conhecidos do/a caro/a leitor/a, se for um espectador assíduo do programa. John Oliver, Stephen Colbert, Steve Carrell, Ed Helms, Jessica Williams, Aasif MandviSamantha Bee, Al Madrigal, Rob Riggle, Lewis Black, Trevor Noah, Jason Jones, Wyatt Cenac, Jordan Klepper, Kristen Schaal, Larry Willmore, entre tantos outros marcaram o “Daily Show” com as suas fantásticas colaborações. Aliás, este é um dos pontos fortes do programa, dado que não se limita a dar o protagonismo apenas a Jon Stewart, mas também aos seus correspondentes.

Mas de volta a Jon Stewart e à sua saída, a verdade é que o programa perde um grande elemento, dado que o pivô do Daily Show era provavelmente uma das partes mais importantes. Não é que o programa sem Stewart não venha a ter piada, porque é impossível isso acontecer dados os excelentes colaboradores e escritores do programa, mas é impossível não reconhecer que Jon Stewart é especial e não há ninguém que conduza uma emissão como ele, especialmente se for em plena campanha eleitoral.

Trevor Noah irá substituir Jon Stewart

Trevor Noah irá substituir Jon Stewart

Na minha opinião, a saída de Jon Stewart pode vir ser um golpe grande nas audiências do programa e vai ser um trabalho complicado para Trevor Noah a de ocupar o lugar que Stewart deixou vago, porém, do que já vi do comediante sul-africano, ele tem talento suficiente para conseguir aguentar o peso do programa e da pessoa que substitui. Eu estou a torcer por ele!

Jon Stewart deixa um legado enorme na condução de programas noticiosos após mais de dois mil e quinhentos episódios. Muitos norte-americanos passaram a saber mais sobre o seu país através do que Jon Stewart lhes transmitia. Foi sobretudo a geração mais nova que ficou influenciada pelo grande Stewart, o seu sentido de humor, a sua perspicácia, a capacidade de criticar os grandes nomes da política nacional e internacional e mesmo assim continuar a ser adorado por muita gente, mas igualmente a sua inteligência bem como a metódica escolha da equipa faz dele um ícone do humor neste século.

stewart goodbye

Daqui vai o meu muito obrigado a Jon Stewart que me deixou bastante mais culto no que toca à política dos EUA e me fez dar, por variadíssimas vezes, grandes gargalhas. You’ll be missed Jon! “Here it is your moment of Zen!”

Click to comment

Mais Lidos

loading...
To Top