Desporto

Final da Champions League 2015 – Antevisão

loading...

Olá caro/a leitor/a! Sabe o que acontece já no dia 6 de Junho? Não? Eu digo-lhe, trata-se do maior evento desportivo anual. E agora já sabe? Se respondeu que se trata da Final da Champions League 2015, não podia estar mais certo. É neste dia que se encerra a época a nível europeu, com um desafio que costuma colocar milhões de pessoas coladas à televisão no mundo inteiro e uns quantos milhares no Estádio a puxar e a torcer pela sua equipa. E como é óbvio, o Ideias e Opiniões, não poderia ficar de fora deste acontecimento!

Este ano, esta Final será na cidade onde durante anos esteve o muro mais famoso do mundo: Berlim. Será na capital alemã, que uma equipa espanhola e uma equipa italiana, se irão defrontar em busca da conquista do título mais importante a nível de clubes na Europa. Barcelona e Juventus, ambas as equipas campeãs nacionais no seu país, limparam as principais competições nos seus respectivos países. Mas, neste confronto em Berlim, apenas uma poderá sair vitoriosa. Vamos à análise, começando por ver o percurso de cada equipa até a este ponto.

Na fase de grupos, o Barcelona ficou colocado com o Paris Saint Germain, Ajax de Amsterdão e o Apoel de Nicósia. Neste grupo, passou em 1º lugar com 15 pontos, vencendo 5 encontros, tendo perdido apenas 1, em Paris. Seguiu-se a primeira fase a eliminar, os Oitavos de final, em que defrontou o então campeão inglês em título, o Manchester City, tendo conseguido levar a melhor no conjunto das duas mãos por 3-1, vencendo tanto no Estádio Etihad, como em sua casa em Camp Nou. Nos Quartos, o Barcelona voltou a encontrar-se com a equipa parisiense (com quem tinha tido duas partidas bem disputadas), mas desta vez, os catalães não deram hipótese e venceram no total por 5-1, ganhando os dois jogos.

Seguiu-se então a Meia-Final, que muitos consideraram ser uma final antecipada: Barcelona encontrava o carrasco do FC Porto, o Bayern de Munique. Era o reencontro de Josep ‘Pep’ Guardiola com a antiga equipa. E neste duelo decidia-se não só um dos finalistas do encontro, mas também qual seria mais forte, se a equipa alemã de Guardiola, com alguns dos jogadores que foram campeões Mundiais, mas que se encontrava desfalcada, sem Robben e Ribery, duas das estrelas da equipa bávara, ou a equipa onde actuam Neymar, Messi, Suárez, Xavi e Iniesta, algumas das maiores estrelas do futebol mundial. E a equipa actualmente orientada por Luís Enrique não deu hipótese. A 1ª Mão foi um jogo brilhante, onde fica para a história, aquela finta de Messi que deixou Jerome Boateng estatelado no chão, tendo vencido o Barcelona por 3-0. Já na 2ª Mão, em casa dos bávaros, o Barcelona perdeu por 3-2, mas no total o Barcelona vencia por 5-3. Era o regresso dos catalães à Final, onde já não iam desde 2011.

Juve

Vamos agora à Juventus. A equipa italiana começou num grupo onde estavam incluídos Olympiacos, Malmö e o então campeão espanhol em título, o Atlético de Madrid. Classificou-se em 2º lugar no grupo, com 10 pontos, vencendo 3 jogos, empatando 1 e perdendo 2. Tanto a equipa grega, como a espanhola ganharam um jogo aos italianos. Nos Oitavos de final, os bianconeri, como são conhecidos, levaram a melhor na partida contra os alemães do Borussia Dortmund, por 5-1, vencendo tanto em Itália, como na Alemanha. Depois foi a vez do Mónaco, equipa treinada pelo português Leonardo Jardim, tendo os italianos vencido por 1-0 no conjunto das duas mãos, com uma falta cometida por Ricardo Carvalho fora de área, em que o árbitro, erradamente, assinalou penalty.

Já na Meia-Final acontecia outro desafio que poderia ser considerado uma final antecipada, Juventus defrontou o campeão europeu em título, o Real Madrid, onde jogam os portugueses Ronaldo, Coentrão e Pepe. Se na 1ª Mão, a Juventus levou a melhor com a vitória no Dell Alpi, por 2-1, com golos de Tevez e do antigo jogador do Real, Morata e do lado dos espanhóis foi Ronaldo que marcou. No Bernabéu, esperava-se um jogo dominado por parte da equipa da casa, mas a equipa de Madrid foi muito perdulária, tendo rematado 14 bolas para fora, acertando apenas 5 vezes na baliza defendida pelo lendário Gianlugi Buffon. Ronaldo marcou cedo, porém, não chegou, dado que Morata voltou a marcar, desta vez de penalty e voltou a não festejar.

Champions League Final

É assim que catalães e italianos chegam à Final, eliminando equipas de grande calibre, com excelentes jogadores. Jogar uma Final é algo indescritível, sobretudo numa competição tão importante como a Champions League. A ambição de ambas as equipas é tremenda. O Barcelona quer ganhar pela quinta vez. Já a Juventus está de olho na sua terceira taça. Mas, se a última vitória do Barcelona nesta competição ainda é recente (2011), a Juventus já não ganha desde a época de 1995-96. Nessa altura, actuavam pela Vecchia Signora jogadores como Del Piero, Di Livio, Deschamps, Paulo Sousa, Ravanelli, Juan Pablo Sorín, entre outros. A equipa italiana já não ia a uma final desde 2003, ano em que perderam nas grandes penalidades contra o Milan.

Ambas as equipas têm jogadores que, sozinhos, podem decidir partidas. Na Juventus, Tevez e Morata têm a responsabilidade no ataque, no meio campo destacam-se jogadores como Pirlo, cujos livres põem qualquer guarda-redes em sentido e Pogba, que tem os maiores clubes europeus interessados em si. Na defesa Chellini e Buffon, que voltam ao estádio onde celebraram o Mundial de 2006 são claramente os patrões da defesa.

Já no Barcelona, Neymar, Messi e Suárez, vão testar a defesa italiana e pôr à prova o cattenaccio que deverá ocorrer na partida. No centro do campo Iniesta deverá mostrar, mais uma vez ser um dos melhores na sua posição e poderá juntar-se ao holandês Seedorf, como os únicos jogadores a vencer quatro vezes a Champions. Ainda no meio-campo, Xavi espera levantar a taça no seu último jogo com a camisola do Barcelona, despedindo-se em grande, dado que está de malas aviadas para o Qatar. Já na defesa, Piqué estará atento a tudo o que a Juventus faça no último terço.

Tridente Ofensivo do Barcelona

Tridente Ofensivo do Barcelona

“E quem vai ganhar o jogo?”, pergunta o/a caro/a leitor/a. Essa é a pergunta de quinze milhões de euros, dado ser este o valor que a equipa vencedora receberá. O favoritismo está do lado do Barcelona, não só pela qualidade inerente aos jogadores, mas também pelo número de vezes que ganharam a competição. Messi está em forma e pode fazer a diferença por si só. Na Taça do Rei marcou um golo de se tirar o chapéu e deliciou os fãs. A Juventus vai depender muito do que em conjunto fazem, porque apesar de terem jogadores com qualidade, estão em desvantagem face à qualidade de jogadores do adversário.

A minha opinião é que o Barcelona irá vencer, por 2-0, golos de Messi (se marcar torna-se o único jogador a marcar em 3 finais) e Xavi (o homem tem de marcar, caramba, é o seu último jogo). A equipa do Barcelona está, a meu ver, muito mais preparada, tanto física, como mentalmente, do que a Juventus. Os jogadores do Barcelona são mais experientes neste tipo de competições, se não acredita repare: Xavi e Iniesta estiveram na última Champions League conquistada em 2011 e estiveram nas convocatórias da selecção espanhola nos Europeus 2008 e 2012 e no Mundial 2010, que a Espanha ganhou. Piqué esteve igualmente em quase todos estas vitórias menos no Europeu de 2008. Depois Messi esteve também na vitória de 2011, venceu já 4 Bolas de Ouro e esteve na final do Campeonato do Mundo de 2014, competição onde foi considerado, erradamente, o melhor jogador da competição. Mas o Barcelona leva igualmente vantagem por não ter nenhum jogador em dúvida para a competição.

O Barcelona será o vencedor desta edição da Champions League, porque é a melhor equipa em jogo, sem detrimento da Juventus, mas a verdade é que o plantel do Barça é melhor. Os catalães são a minha escolha.

Taça

E o/a caro/a leitor/a, quem acha que vai ganhar? Os blaugrana ou os bianconeri?

Click to comment

Mais Lidos

loading...
To Top