Lazer

Verão em Lisboa – Sugestões Balneares

loading...

Olá a todos os que nos seguem, sejam bem-vindos a mais uma crónica mensal (prometo que, de hoje em diante, voltarei a apresentar crónicas de uma forma mais assídua) com sugestões do que pode fazer nesta mui nobre e sempre leal cidade de Lisboa!

O Verão já por cá anda, oficialmente, desde meados de Junho, mas o Sol e o calor, já andavam a fazer muitos portugueses a fazer perder o juízo muito antes disso! Ora, tendo isto em conta, a presente crónica incidirá, meus caros leitores, no quê? Pista: Verão, mais calor, mais bom tempo é igual a….? Lá está, precisamente: PRAIA!!! E é destas extensões de areia ao redor do mar que vos venho aqui falar este mês! Ainda por cima, mês de Agosto, aquele mês tão desejado pelos portugueses, seja cá dentro deste rectângulo, seja pelos emigrantes, por serem aqueles 31 dias que representam férias, regressar à terra que os viu nascer e rever a família.

A praia é sempre motivo de felicidade para qualquer português

Ora bem, se há coisa que Portugal tem de bom durante o Verão são as suas praias paradisíacas, de águas quentes e cristalinas, areias finas…. no Algarve e na Costa Vicentina. Por esta altura, está aquela faixa costeira, desde a ponta de Sagres a Vila Real de Santo António, cheio de Portugueses, Espanhóis, Franceses, Ingleses, Alemães, Nórdicos… foi tudo lá para baixo, como se de Vila Nova de Mil Fontes para norte não houvesse nada. Pois, mas há, meus caros: as belíssimas praias do Minho (Moledo é o melhor exemplo), Leça da Palmeira, dos Ingleses ou do Senhor da Pedra, no Porto, as praias da Figueira da Foz, Nazaré (aproveite e apanhe uma onda igual ao do surfista McNamara), Leiria (Santa Cruz, Baleal, Consolação, Ericeira), Tróia e Santo André, em Setúbal, as praias dos Arquipélagos. Bons e belos exemplos, (se me esqueci de algum, peço já as minhas desculpas, mas são tantas que é impossível enumerá-as aqui a todas), seja pelas suas paisagens, relação intrínseca com a Natureza, não faltam. O único senão destas praias, umas mais afectadas que outras, é o fenómeno da Nortada, aqueles ventos chatos que fazem levantar a areia e começamos a sentir pequenas picadas no corpo. Mas fora isso, são excelentes spots e alternativas para férias com a família ou com os amigos, até para sair da confusão do Algarve.

“Então e em Lisboa? Não há praias?” Calma, vou agora mesmo falar nelas. Sim, na Área Metropolitana de Lisboa há praias para dar e vender, todas elas umas melhores que as outras, mas já dependerá dos gostos de cada um, claro. Começo por destacar as praias da Arrábida: a mais famosa: Portinho da Arrábida! São aquelas praias que fazem a transição, das águas mais frias a norte, com as águas mais mornas a sul, até à Costa Alentejana. São praias, na sua maioria, de pequena dimensão, tranquilas e óptimas para descansar, fugir da rotina e da confusão. As águas belíssimas e de fazer inveja a muitas que por aí andam. Neste local, pode saber mais sobre algumas delas. Ainda para mais, desculpas para não ir as estes pequenos paraísos deixarão de existir, na medida em que, desde 29 de Julho, existem autocarros que levam os banhistas às praias da Arrábida por apenas 0,50€.

Portinho da Arrábida

Indo um bocadinho mais para cima, encontramos, antes de chegar à Costa da Caparica, mais praias muito conhecidas, de muita gente, a famosa Praia do Meco, Praia da Lagoa de Albufeira, Fonte da Telha e então, sim, entramos na Costa da Caparica e respectivas praias. Esta zona, muito frequentada pelos banhistas, essencialmente de toda a Margem Sul do Tejo, bem como por bastantes Lisboetas, são praias mais familiares, de grande dimensão, mais confusão e, um pequeno perigo para os mais distraídos e desconhecidos: os fundões e as fortes correntes marítimas que se fazem sentir. Quem não tiver cuidado, pode ser apanhado desprevenido por algum agueiro. Falo por experiência própria, pois era muito frequentador das praias da Costa em pequeno, e deixei de ir lá, sendo um dos motivos este mesmo. Outros motivos prendem-se com a difícil deslocação e preferências da família por outras paragens balneares. Bom, mas o meu historial não tem de ser um exemplo para todos, há que ter cuidado, seja nestas praias ou noutras, noutro local do país, mas nestas em especial, a atenção tem que ser maior. Estas não deixam de ser óptimos locais para se passar umas belas tardes. Se preferirem, óptimas esplanadas com vistas para o Atlântico também não faltam, e são sempre uma alternativa bastante válida!

Este tradicional comboio pode-o levar a uma das várias praias da Costa da Caparica

Chegamos finalmente a Lisboa que, por si só, não tem praia. Ou sejam, os Lisboetas têm três (agora 4, e já vos explico porquê): Ou vão para fora (Norte, Sul, Ilhas, de férias), ou vão para as praias da Margem Sul (as que já enumerei no parágrafo anterior), ou para as praias da Linha de Cascais (as quais já irei opinar) ou, por fim, a praia urbana da cidade. Sim, Lisboa tem uma praia urbana! Já falei nela, aqui.

O conceito é simples: uma praia para aqueles habitantes lisboetas que, por impossibilidade, não têm forma de ir às praias da Linha ou do outro lado do Tejo. Fica no Miradouro do Jardim do Torel, daí ser conhecida por Praia Urbana do Torel. Está aberta ao publico desde 1 de Agosto e ficará disponível até o final do mês. Tem tudo o que uma praia dita normal tem: nadador-salvador, esplanadas e água para tomar banho. Não se preocupe já que a água é tratada todos os dias e tem certas regras que todos devem cumprir para garantir a qualidade da mesma, de forma que os seus usuários possam usufruir dela.

Praia Urbana do Torel, Lisboa

Seguem-se, agora, as praias da Linha de Cascais. Toda esta faixa costeira é, historicamente, local de férias das classes mais altas que habitavam Lisboa, desde o Século XIX. Quem passeia pela Avenida da Marginal, que liga Algés a Cascais, se estiver atendo, verá que palacetes de pequena e média dimensão, não faltam. A Riviera Portuguesa, assim conhecida esta faixa balnear, era zona de descanso da Família Real de Portugal, das classes mais nobres ou dos Burgueses mais ricos. Mesmo já no século XX, a tradição continuou, visto que Salazar também lá passava os seus Verões, no Forte de Santo António, em São João do Estoril. À medida que os anos foram passando, os lisboetas e muitos outros, começaram a olhar para as praias da Linha como uma óptima sugestão para descansar e passar uns dias, como boa alternativa a outras regiões do País. Se há praia que gosto imenso nesta linha, é a Praia do Tamariz.

Forte de Santo António, São João do Estoril

O Tamariz, pessoalmente, só tem vantagens: a estação dos comboios é, literalmente, ao lado. Tem um belíssimo jardim nas costas da praia e esta é guardada, majestosamente, por um belo palacete do século XIX, denominado “Chalet Barros”. Este palacete, antes de o ser, era uma casa apalaçada, construída no local de um antigo forte em ruínas. Estava rodeada de tamarindeiros (árvores de fruto de origem africana) e de palmeiras e acabaria por dar o nome à casa “Tamariz”. Advém daí, a denominação da Praia do Tamariz. Resta dizer, que do lado esquerdo da praia, existe uma formação, meia natural, meia feita pelo Homem, que transforma a zona numa piscina oceânica. Se lá forem, tomem atenção às rochas pois estas estão constantemente húmidas o que, se não houver cuidado, pode-se cair e aleijar-se seriamente. É, para mim, das melhores opções da Linha de Cascais.

Praia do Tamariz com o Chalet Barros à esquerda da imagem

A par desta, temos a tradicional Praia de Carcavelos e a Praia da Torre, que me traz muitas lembranças de infância, pois era aqui que ia muitas vezes com meus avós! O túnel de acesso à praia, continua grafitado e composto por feirantes que aproveitam a passagem dos banhistas para fazer negócio, vendendo tudo o que possamos associar à praia. Ao longo destas, esplanadas e mais esplanadas de bares muito simpáticos e de boa comida. Os preços variam um pouco, mas não se pode esquecer que também está a pagar pela localização privilegiada. Mas uma vez, não são vezes, não é verdade? Recentemente, estive em Carcavelos e almocei no Tricana da Barra. Espaçoso, com esplanada, decoração alusiva ao surf, com uma parte para leitura enquanto bebe algo fresco nos dias mais quentes. Simpatia dos seus empregados também não faltou. Bom e recomendável!

Em suma, são praias de grande dimensão, óptimas para se estar com a família e com os amigos e muito boas para a prática do desporto. Foi, aliás, recentemente inaugurada um troço comum de ciclovia e pedestres com esse mesmo intuito. Por fim, chegamos a Cascais. Bom, a Vila de Cascais dispensa qualquer tipo de apresentações, é um cartaz chamativo muito utilizado para captar turistas, sendo um dos ex libris da Grande Lisboa. As suas praias não são excepção. É verdade que são mais pequenas que as anteriores, mas têm o seu encanto próprio que vale a pena descobrir por si. Acho piada a uma, em especial: a Praia da Conceição. Esta tem uma particularidade engraçada, quando a maré esta vazia, é possível aceder a uma zona da praia mais escondida, ladeada em semicírculo por uma arriba. No topo fica o Hotel Albatroz, e este pequeno areal, supostamente, deveria ser uma praia privativa do Hotel, mas enfim, se o ar é de todos, as praias também o são!

Praia da Conceição e o Hotel Albatroz, Cascais

Para terminar, gostava de desejar a todos umas excelente férias de Verão! Aproveitem, divirtam-se, gozem bem estes dias. Deixem, sempre que possível, as areias limpas e sem lixo! Cuidado com os escaldões, porque não é porque o Donald Trump não acredita nas mudanças climáticas que elas não existem, e a prova de que não são mito está no facto de que os raios UV estarem, de ano para ano, mais fortes e a incidirem com mais força durante mais tempo! Ah, e outra coisa muito importante! Para aqueles que estão a passar férias junto às praias, e não só (desde que se queiram divertir), aproveitem e estejam atentos às possíveis festas e festivais que se podem realizar durante o mês. Agora de repente, por exemplo, estou-me a lembrar do “Sol da Caparica”, e ainda as Festas do Mar, precisamente em Cascais.

Assim nos despedimos, voltarei no próximo mês, com mais sugestões!

Boas leituras e excelentes passeios por Lisboa, a nossa capital agradece!

Click to comment

Mais Lidos

loading...
To Top