Sociedade

Uma boa amizade, dá saúde e faz crescer

loading...

“Sou teu amigo sim, sou teu amigo sim. Quando a vida, corre mal e tu ficas só e sentimental, (…) tu tens um amigo aqui”. Por muito cliché que seja a letra desta canção, diz muito a quem, como eu, cresceu nos anos 90 rodeada de filmes épicos da Disney e da Pixar. Toy Story, filme que eternizou aquela canção (para nós na versão portuguesa, claro), é um bom exemplo dessa panóplia de filmes. O que todos esses filmes de animação têm em comum? Muita coisa, é certo, mas uma delas é, mostrarem-nos a importância e força da amizade, das ligações mais genuínas que existem entre os laços humanos que se criam. À frente disso só ficam as ligações familiares, claro. Sim, coloco a amizade à frente do amor. Sabem porquê? Porquê sempre considero que um casal, mais do que pelo amor, tem de ser unido pela amizade, porque caso contrário, não vai resultar.

“Sou teu amigo sim, sou teu amigo sim. Quando a vida, corre mal e tu ficas só e sentimental, (…) tu tens um amigo aqui”

Isto tudo para lhe introduzir a temática que me traz de novo a este cantinho da internet onde partilhamos opiniões, histórias e notícias. Venho falar-vos sobre a amizade, porque a 30 de julho, caros internautas, se comemora o dia internacional da amizade.

Há tanto para dizer sobre este tema que é difícil decidir que rumo tomar, mas uma coisa é certa, vai ser uma crónica cheia de clichés. Quando penso na amizade, fico nostálgica e sinto um quentinho no coração, porque a vida trouxe-me pessoas incríveis às quais tenho o privilégio de chamar amigos e de contar verdadeiramente com eles. Alguns crescem connosco, outros ficam a meio caminho com os rumos que as nossas vidas tomam, mas todos nos marcam à sua maneira e ajudam a moldar quem somos.

Quem não teve aquele amigo ou amiga na infância com quem se queria passar todos os minutos possíveis a brincar? Eu posso logo começar por falar dos meus primos, cresci sempre muito perto deles, com brincadeiras sem fim. Horas a fio a jogar à bola na rua, a andar de bicicleta não era? E quem não teve aquele amigo ou amiga que era como um modelo para vocês e queriam ter tudo igual a ele(a)? Pobres pais que fazem tudo para nos ver felizes. Eu cheguei a querer cortar o cabelo como uma amiga minha de infância, e tanto quis que os meus pais me fizeram a vontade. Abri mão de um cabelo comprido com caracóis para um corte de cabelo pelos ombros, meio à tigela… tontices da idade e que hoje me fazem rir quando vejo as fotografias dessa altura. Sabem o que é mais giro ainda? É que passados tantos anos, se tivermos perdido o contacto com essas pessoas, quando as voltamos a encontrar, é bom refletir o quanto crescemos. Convosco também é assim? Infelizmente não consegui manter nenhuma amizade de infância, não houve oportunidade para isso. Depois dessa fase chegam os amigos da escola secundária, os amigos da faculdade e os amigos do trabalho.

“(…) mas os amigos da faculdade… olhem que o cliché é mesmo verdade, são para sempre!”

Vamos por partes. Os amigos da escola secundária também muitos acabam por se perder porque a vida acaba por nos afastar, mas os amigos da faculdade… olhem que o cliché é mesmo verdade, são para sempre! Os laços de amizade mais fortes que tenho são praticamente todos oriundos de amizades criadas na faculdade. Na minha perspetiva é uma questão de maturidade. Já estamos mais cientes de quem somos, dos caminhos que queremos seguir e de quem queremos ou não ao nosso lado e por isso é mais fácil perceber com que tipo de pessoas nos identificamos mais.

Estiveram na faculdade? Não sei se sentiram o mesmo mas, durante os anos de faculdade senti que os meus princípios se tornaram mais robustos e comecei a ter mais consciência dos meus limites e das minhas capacidades. E é por isso que acho que as amizades que se constroem na faculdade têm mais probabilidades de ser duradouras.

“Que tipo de amizade é a vossa? É como a de Timon e Pumba?”

Com o passar dos anos, a evolução da humanidade acabou por se refletir em muitas coisas, inclusive na amizade, também esse paradigma se alterou. Já não há ficar até tarde na rua a brincar e a mãe chamar ao longe pela janela para irmos jantar. Há sim amizades alimentadas por conversas na internet durante horas a fios. Os km’s percorridos nos campos de futebol ou pedalados na bicicleta traduziram-se em gigabites gastos a trocar fotografias e mensagens via internet. Olho para trás e fico grata por ter crescido antes de tudo isto.

Mas, queria deixar claro que temos de distinguir muito bem os amigos dos conhecidos. Não há mal nenhum em termos poucos amigos e muitos conhecidos, eu considero que é assim que faz sentido, o nosso círculo de amigos deve ser algo restrito, tipo uma seita sabem? Com a partilha de informações secretas, planos de grupo restritos… Mas como é que eu sei quem são os meus verdadeiros amigos? Vocês vão perceber quando chegarem os momentos certos. Quem concorda comigo? Eu saiba que ia ter muitas mãos no ar desse lado. É verdade, quando mais precisamos é que percebemos com quem podemos contar a 100%.

E depois temos os amigos do trabalho, com quem passamos mais tempo do que em casa, e a quem acabamos por confessar o nosso cansaço, as nossas frustrações diárias, as nossas conquistas, as nossas fraquezas.

“Que tipo de amizade é a vossa? (…) É como a da Dory e o Nemo?”

Esta crónica tem o propósito de vos deixar nostálgicos. Por aquele amigo de infância que já não vêm há mais de dez anos, por aquela história que vos faz rir sempre que estão juntos, por cada vez que foi necessário um ombro para chorar e esse vosso amigo/amiga esteve lá. Serve para que nunca nos esqueçamos de dar valor a quem nos quer bem e gosta de nós. Há quanto tempo não manda uma mensagem àquele amigo de longa data que só vê uma vez por ano porque anda sempre “sem tempo”? Há quanto tempo não marca um café com ele/ela para contar as novidades? Há quanto tempo não lhe agradece a amizade? Se há bons dias para isso? Todos são. Todos os dias devemos demonstrar aos outros o quanto eles nos são importantes, mas, o dia internacional da amizade é um dia especial. Aproveitem a deixa e mostrem aos vossos amigos o quanto eles são essenciais para a construção da pessoa que são.

Olhe à sua volta, pense num amigo. Que tipo de amizade é a vossa? É como a de Timon e Pumba? É como a da Dory e o Nemo? É como a de Tom & Jerry?

 

O dia internacional de amizade é todos os dias. Viva a amizade sem filtros.

” Que tipo de amizade é a vossa? (…) É como a de Tom & Jerry?”

Voltamos a encontrar-nos em breve, por entre linhas e sorrisos,

Margarida Gaspar

Click to comment

Mais Lidos

loading...
To Top