Entretenimento

São Valentim: Lendas, Tradições e Curiosidades

loading...

A 14 de Fevereiro celebra-se o Dia dos Namorados, também conhecido como o Dia de São Valentim.

A origem desta data comemorativa é incerta pois existem várias lendas e três santos cristãos de nome Valentim. O mais provável e normalmente aceite, é que a data respeite a Valentim, nascido em Itália na região da Úmbria em 176 d.C. O mais antigo documento sobre ele diz respeito à data da sua morte. Alguns outros documentos mais ou menos da mesma altura falam ainda da sua tortura e decapitação, mas a maioria do que se diz não pode ser provado. Como tal, a própria igreja católica deixou de celebrar oficialmente esta data em 1969 por considerar as origens do santo e da lenda demasiado incertas.

O nome Valentim significa “saudável”, razão pela qual este santo é também muitas vezes invocado por doentes que pretendem recuperar a boa saúde. É normalmente representado com uma palma e uma espada, símbolos do martírio. Segundo consta o santo era conhecido pela sua humildade e caridade.

São Valentim: As lendas

A Lenda da filha do juiz

São Valentim

São Valentim

Conta-se que no Séc. III vivia em Roma o sacerdote chamado Valentim. Cláudio II, então imperador, ao aperceber-se da influência do cristão manda prendê-lo.

Valentim acaba à guarda de um juiz de nome Astério, que tinha uma filha cega. Este, ao ver a fé inabalável do santo, diz-lhe que se ele conseguir restituir a visão à filha acreditará que Jesus é o caminho certo. Valentim põe então as mãos sobre os olhos dela e reza. A jovem recupera imediatamente a visão e Astério e os seus convertem-se. Mas o Imperador Cláudio não cede e acaba por os condenar a todos à morte. Valentim é então decapitado.

Algumas versões desta lenda alegam ainda que, após recuperar a visão, a filha de Astério se teria apaixonado por Valentim e ele por ela. No entanto, a história acaba da mesma forma, com a morte de Valentim.

A Lenda dos casamentos proibidos

Segundo esta lenda, o mesmo imperador romano, Cláudio II, teria proibido os casamentos para assim poder angariar mais soldados para a frente de batalha. Dizia ele que o casamento e as mulheres distraiam os soldados. No entanto o sacerdote Valentim, que pregava a importância do amor, continuou a casar os apaixonados em segredo mesmo contra a vontade de Cláudio. Acabou por ser descoberto, preso, torturado e condenado à morte a 14 de Fevereiro de 268.

A Lenda dos amantes

Conta esta lenda que Valentim foi o primeiro a celebrar o casamento entre um legionário pagão e uma mulher cristã e por isso se tornou padroeiro dos apaixonados. O casamento não era visto com bons olhos pela família dela mas, após descobrirem que sofria de uma grave doença, acabaram por ceder. O jovem apaixonado pediu ao santo para não mais ter de se separar da sua amada e Valentim baptizou-o e casou-os no quarto onde padecia a doente. Os jovens acabaram por morrer juntos.

A Lenda da reconciliação

Narra esta lenda que Valentim, ao ver dois jovens namorados brigar, fez voar em torno deles vários casais de pombos e os jovens logo se reconciliaram. Daí supostamente deriva a expressão “pombinhos”. Uma outra versão desta lenda fala não de pombos, mas de uma rosa que o santo teria posto nas mãos dos jovens e imediatamente os reconciliou.

A Hipótese dos Lupercales

Festival dos Lupercales

Festival dos Lupercales

Muitos ligam também as tradições de São Valentim ao festival dos Lupercales, que se realizava na antiga Roma a 15 de Fevereiro. O nome Lupercales deriva das palavras Lupus (lobo, animal que simbolicamente representava o deus Faunos) e Hircus (cabra, o animal impuro) e o festival representava a passagem dos jovens à idade adulta. Nele, os jovens corriam nus pelas ruas, chicoteando as mulheres que encontravam à frente para desta forma lhes garantir a fertilidade. Corriam também nus pela floresta, onde deviam sobreviver por determinado tempo para provar as suas capacidades. 

Devido ao cristianismo emergente da época esta festa acabou por ser considerada demasiado “obscena” e foi então substituída pela de São Valentim e alterada para o dia da morte do mártir, a 14 de Fevereiro.

No entanto a igreja viu-se a braços com uma luta quando, durante a idade média, as pessoas tentavam criar as suas próprias tradições de festa derivadas dos Lupercales. Neles celebrava-se a fertilidade e a renovação dos solos. As pessoas saiam para as ruas e as regras morais da igreja deixavam de lhes importar e eram quebradas.

Curiosidades e tradições

  • No Brasil, onde a tradição do Dia dos Namorados chegou mais tarde, a data é celebrada a 12 de Junho, véspera do dia de Santo António, por este ser o santo casamento e São Valentim o santo dos namorados.
  • Na Alemanha, um dos presentes mais comuns no dia dos namorados é…um porco! Pode ser um objecto em forma de porco, um desenho, uma fotografia, não importa. Parece que os alemãs acreditam que este animal lhes traz sorte e luxuria.
  • Na China, apesar de muitos também celebrarem o dia de São Valentim, existe um outro dia para os apaixonados no início do mês de Agosto, o sétimo dia do sétimo mês lunar. Conta a lenda que no inicio dos tempos uma fada chamada Zhinu e um mortal chamado Niulang se apaixonaram. Mas a Deusa do Céu, que era contra esse amor, resolveu separá-los, transformou Zhinu na estrela Vega e criou a Via Láctea entre eles. No entanto todos os anos eles se conseguem ver nesse dia.

 

.

  • No Japão, a festa deste dia é comemorada de uma maneira diferente. O costume, em vez das habituais trocas de presentes entre namorados, é as mulheres oferecerem chocolates aos homens, sendo que há até diversos tipo de chocolate que se podem oferecer, variando conforme a relação que se tem com cada um deles: se são amigos, familiares ou a cara metade. Há ainda um chocolate para dar às amigas mais próximas.
  • Na Eslóvenia, o São Valentim é o santo padroeiro da Primavera, pois representa o início das colheitas. A data do dia dos namorados, essa, é bastante mais flexível. Pode-se escolher entre o dia de Santo António, a 13 de Junho, o dia de São Vicente, a 22 de Fevereiro ou ainda o dia de São Gregório, a 12 de Março.
  • Em Taiwan, a tradição de oferecer flores à pessoa amada é levada muito a sério!  As rosas vermelhas representam “um amor único”, 99 rosas expressam “amor para sempre” e 108 rosas significam um pedido de casamento. O dia é ainda celebrado a 7 de Julho, além do tradicional 14 de Fevereiro.
Colheres do Amor no País de Gales

Colheres do Amor no País de Gales

  • No País de Gales, o costume deste dia é que o homem ofereça à mulher amada uma “colher do amor”. Estas colheres são pormenorizadamente trabalhadas com vários símbolos e padrões, cada um com o seu próprio significado.
  • Em muitos locais é já costume celebrar também o dia os solteiros, em contrapartida aos dia dos namorados. A data varia conforme o lugar, sendo, por exemplo, celebrada a 15 de Agosto no Brasil e a 11 de Novembro na China, mas a ideia base mantém-se: se os namorados podem ter um dia, os solteiros também!

Independentemente da origem e dos costumes desta data, é um dia para se celebrar o amor. É claro que o amor deve ser celebrado e homenageado todos os dias, mas na correria da vida quotidiana isso nem sempre é fácil de lembrar. Então, aproveitem o dia e vão mostrar à vossa cara metade o quanto gostam dela. Lembrem-se, o importante não é o valor do presente, ou sequer se há um presente. O importante é o amor!

Click to comment

Mais Lidos

loading...
To Top