Entretenimento

O Que É Isto? 5 Séries de Levantar As Sobrancelhas

loading...

Depois de passar quase 6 meses (and counting) em águas americanas, a minha capacidade de julgar o estranho elevou-se a um nível que já nem eu compreendo. A verdade é que, o bizarro da televisão americana nunca desapareceu e, sem dúvida alguma, que foram muitas produções que levantaram as sobrancelhas de milhões de espectadores. O imaginário desta gente para as indústrias criativas ultrapassa os limites a que estamos habituados na Europa e, estando cá, a coisa só se intensifica, pelo menos, para mim.

Mas, mesmo sendo um autêntico seasoned viewer, que está habituado a ver todo o tipo de série ou filme, fiquei meio boquiaberto com algumas das produções que me passaram pela vista. Seja por recomedações de amigos, por andar no lado errado do Youtube, ou por mera curiosidade, foram raras, (mas preciosas), as vezes em que encontrei séries que me causaram uma estranheza daquelas ‘’Mas o qué isto?!’’.

Embora o foco desta crónica seja a típica série e não os reality shows, permita-me que lhe dê um pequeno exemplo: sabia que na Rússia (where else?) existiu um programa de tv onde era atribuído um carro a um convidado? E onde está a estranheza nisso? A direção do programa reportaria o carro como roubado à polícia e o jogo era muito simples: se o convidado do programa conseguisse fugir da polícia por, pelo menos, 35 minutos, ganhava o carro como prémio. E olhe que esta nem é das mais estranhas!

Do moderno ao clássico, é impressionante pensar que, algumas destas séries passaram pela televisão maintstream (muitas ainda no ar) e que, uma boa parte se tornou um fenómeno de culto a nível internacional. O mundo anda cada vez mais estranho e eu também. Seja pela complexidade do enredo, ou por mera piada, sem qualquer tipo de sentido, hoje trago-lhe 5 séries que me causaram uma reacção de estranheza sem precedente!

American Horror Story

Dos criadores de Glee (awkward…), estava mais que visto que teria de começar com um nome muito familiar para a maioria dos telespectadores.  American Horror Story é a mais recente série desta lista e a única que ainda está no ar. Com uma fraca aceitação na sua primeira temporada, a verdade é que assumiu o trono do terror no mundo das séries, estando neste momento a caminho da sétima temporada (e com uma renovação por mais duas até 2019).

Essencialmente uma compilação de histórias horrendas nos mais diversos lugares, American Horror Story é uma autêntica antologia de terror, assumindo um conjunto de pormenores artísticos e macabros que tornam a série um marco nos dias que correm. Cada temporada tem lugar nos mais variados locais (desde um ‘’simples’’ hotel a um mais que estranho freak show de circo) e, escusado será dizer que o exagero não é pouco.

Com participações especiais de Lady Gaga na temporada Hotel, no qual interpreta o papel de uma bruxa à século XXI, a série conta com alguns veteranos da televisão americana, como Jessica Lange, Denis O’Hare, Kathy Bates ou Cuba Gooding Jr., sendo que a chuva de Emmys tarda em parar (todos os anos… e já perdi a conta). Com detalhes que vão de erotic thriller, ao horror puro e duro, American Horror Story é, de longe, uma das produções mais bizarras que vi nos últimos tempos e, por este caminho, será difícil não se tornar numa das melhores séries de terror do século XXI.

Twin Peaks

Era quase impossível não incluir David Lynch num top destes. Não há nada que este homem faça que não deixe a maioria das pessoas com a cara de estranheza. Eu chego a pensar que, ele próprio, se perde um pouco nas suas produções, tanto desfocando e (ao mesmo tempo) mantendo o foco no enredo que está a tentar partilhar.

Apesar de ser considerada uma das melhores séries de drama dos anos 90, Twin Peaks apenas teve direito a duas temporadas, com o declínio das audiências a ditar o cancelamento da série, após um ano de existência. Com uma mistura de crime, com detalhes um tanto ou quanto supernaturais, à estranheza da maioria das personagens vincou ainda mais a ideia de que as criações de David Lynch, não são para todos os gostos.

Com uma primeira temporada focada na morte de Laura Palmer (Sheryl Lee), a investigação parte de Dale Cooper (Kyle McLachlan), um polícia muito peculiar que, através de um humor estranho, e de uma paleta de atitudes quase infantis, se apaixona pela cidade de Twin Peaks, ao mesmo tempo que investiga o macabro assassinato que assolou a localidade. Num lugar repleto de bizarras famílias, é incrível a quantidade (e profunidade) das personagens criadas pela dupla David Lynch/Mark Frost para a composição do enredo, algo que amplia a sensação de suspense e volume na série.

Com participações especiais do senhor Kiefer Sutherland (nos seus primeiros tempos), a série conheceu uma adaptação para filme, Twin Peaks: Fire Walk With Me (que contou com David Bowie) , que serviu como prequela e conclusão para a produção original. Em 2014, foi anunciada a sequela oficial da série, quase 25 anos depois da sua estreia na ABC. Com direcção de Lynch e com o retorno de várias personagens, a minisérie contará com apenas uma temporada de 18 episódios e chega à televisão americana a 21 de Maio de 2017. Escusado será dizer que as expectativas são muito elevadas!

Cop Rock

Imagine se The Wire (aquela série que eu tanto insisto que é espectacular) virasse musical. Só o pensamento já me faz comichão e há quem considere Cop Rock uma das piores séries de alguma vez esteve no ar. Possivelmente um dos mais bizarros musicais da história, esta produção da ABC teve como criador Steven Bochco, um dos grandes responsávels pelo sucesso de Hill Street Blues nos anos 80. As coisas não correram tão bem com Cop Rock, com a série a disfrutar de apenas uma temporada de 11 episódios.

Surpreendentemente, este CSI a là High School Musical arrebatou 2 Emmy’s de 5 nomeações após o seu único ano de existência (1990). Consistindo numa autêntica mistura de momentos sérios com pedaços de musicais sem grande ligação (como um júri num tribunal a declarar um réu culpado enquanto canta Gospel), Cop Rock apresentou um conjunto limitado de personagens e uma ideia que não fez jus ao talento presente na produção.

Recordada como um dos maiores falhanços televisivos dos anos 90, Cop Rock voltou a ser emitida pela VH1 e pela A&E, alguns anos depois do seu cancelamento. E não há muito mais a dizer. Basicamente, Cop Rock é o primeiro e, possivelmente, o último drama policial musical da televisão mundial.

Tales From The Crypt

Mais que uma tendência, as séries mais estranhas do mercado estão, na sua maioria, na categoria do terror ou do imaginário sobrenatural. E Tales From The Crypt não é excepção. Com um contador de histórias muito charmoso (basta olhar para a imagem acima), a série consiste numa compilação de contos assustadores e bizarros. Os anos 90 no seu melhor portanto!

Com uma pitada de humor negro, esta produção da HBO (no seu canal premium), Tales From The Crypt teve direito à vários spin-offs e foi uma das poucas séries dos últimos 50 anos a conter profanidade, nudez e violência (bem gráfica) sem grandes limites. Com participações especiais de uma autêntica constelação de estrelas hollywoodescas ao longo de 7 anos, cada episódio assumiu as diferentes personalidades dos seus participantes, dependendo, igualmente, da enorme criativade dos seus realizadores (Tom Hanks, Robert Zemeckis ou Michael J. Fox, entre outros).

Em 2016, M. Night Shyamalan, o realizador de Sixth Sense e pouco mais, anunciou o novo reboot da série que deverá chegar ao pequeno ecrã ainda este ano. Se gosta de séries assustadoras e que criam verdadeiros awkward moments, esta poderá ser uma boa escolha para não ver em família. Agora preparem-se para o melhor título deste top!

The Twilight Zone

E pronto. Aqui está a grande razão que esteve na origem desta crónica. O imaginário de Rod Serling (possivelmente um dos maiores génios artísticos do século XX) reina num conjunto de histórias com as mais bizarras circunstâncias. Pioneira nos anos 50/60, The Twilight Zone é um reflexo do espírito rebelde de Serling, que explorou os tabus da sociedade moderna através de histórias assombrosamente estranhas, mas com muito significado.

O combate à típica censura é igualmente um dos focos da série conjuga-se com um pouco de sci-fi, terror e fantasia. A série também serviu para fazer previsões (algumas bem certinhas) acerca do futuro tecnológico e paranóico que, curiosamente, estamos a viver neste momento. Rod Serling foi amplamente considerado um visionário, conquistando vários prémios, entre os quais os tão afamados Hugo Awards e, pois claro, os Primetime Emmys!

A primeira série durou cerca de 5 anos (1959-1964), sendo reformulada entre 1985 e 1989. The Twilight Zone teve direito a um segundo reboot em 2002, durando apenas uma temporada. Embora tenha perdido algum fulgor, tornou-se uma autêntica série de culto e continua a ser revista pelos mais variados públicos. É difícil esquecer as fantásticas participações de Sir William Shatner e de Robert Redford! Um must para abrir a mente e levantar as sobrancelhas!

Está mais que provado que o estranho pode muito bem dar para os dois lados. Este top reflecte a criativdade explosiva do século XX e a maneira como o bizarro pode ter um lugar no pequeno ecrã. Porque tudo isto é obra de uma diferente perspectiva acerca da realidade, por mais absurda que possa ser. Esta essência pode ser vista na dupla Tim Heidecker/Eric Wareheim, cujo trabalho (mais estranho que sei lá o quê) foi a rampa de lançamento para alguns actores bem conhecidos – sim, esta é a menção honrosa que não consta na lista.

Mesmo que esteja à procura de séries mais convencionais, não desista desta lista. Não desperdiçe a oportunidade de disfrutar duma noite de amigos repleta de risos não tão confortáveis e de muita sobrancelha levantada. Why not? Assim me despeço, meus amigos. Voltarei em breve com cinema do bom! E mais não digo. Bons filmes e boas séries e toca a aproveitar a Primavera!

Hasta La Vista, Baby!

P.S.:Se é fã destas andanças, dê uma olhadela aos meus outros artigos aqui. Have fun!

1 Comment

Mais Lidos

loading...
To Top