Entretenimento

Grammys + Festival da Canção

loading...

E lá passamos o mês dos apaixonados e entramos no mês de Março, onde se celebra o Dia da Mulher e o Dia do Pai. A folia do Carnaval já passou, mas nem por isso a música parou! Muito pelo contrário, no passado dia 8 de Fevereiro foram entregues os prémios mais importantes no mundo da música, os Grammys. Já no artigo de Fevereiro, nomeei alguns vencedores destes prémios, mas desta vez vou comentar se foram ou não bem entregues, segundo a minha opinião. Vamos então ao que interessa.

Faixa do Ano

Os nomeados eram:

  • All About that Bass – Meghan Trainor
  • Chandelier – Sia
  • Fancy – Iggy Azalea ft. Charli XCX
  • Shake It Off – Taylor Swift
  • Stay With Me – Sam Smith

Vencedor: Stay With Me – Sam Smith

Um dos prémios mais esperados da noite foi parar às mãos do britânico Sam Smith e esta seria uma das categorias mais complicadas de escolher um vencedor. Eu estaria inclinado entre três dos nomeados, “Stay With Me” de Sam Smith, “Shake It Off” de Taylor Swift ou “Chandelier” de Sia. Posso considerar este prémio como bem entregue, pois era de facto uma escolha complicada. Se fosse para uma das outras duas nomeadas que referi, também seria bem entregue.

In the Lonely Hour

Capa do álbum de Sam Smith

Álbum do Ano

Os nomeados eram:

  • Beyoncé – Beyoncé
  • Girl – Pharrell Williams
  • In the Lonely Hour – Sam Smith
  • Morning Phase – Beck
  • Multiply (X) – Ed Sheeran

Vencedor: Morning Phase – Beck

Ora bem, este foi um prémio que gerou alguma controvérsia. Porquê, pergunta o caro leitor? Eu explico-lhe, Kanye West, rapper norte-americano voltou a fazer das suas, tendo ido ao palco fingir que iria repetir um momento que já tinha feito numa outra cerimónia de prémios de música. Porém, após os Grammys, Kanye West resolveu explicar o que aconteceu, tendo dito que não era uma brincadeira e que Beck deveria entregar o prémio a Beyoncé. O rapper norte-americano já tinha dado numa de “emplastro” quando em 2009, nos Video Music Awards (VMA’s) da MTV, interrompeu Taylor Swift, que tinha ganho o prémio de Melhor Vídeo Feminino, dizendo que quem merecia vencer era Beyoncé, mas claro que o público não gostou e apupou-o.

Vamos à minha opinião, primeiro quero dizer que colocava pelo menos mais um nomeado, o álbum “1989” de Taylor Swift. Mas apenas tendo estes nomeados, o meu pendor seria para o álbum de Ed Sheeran.  Para mim, Multiply tem várias boas músicas, que continuam a passar na rádio e que faz quem oiça, cantar. “Sing”, “I See Fire”, “Thinking Out Loud”e “Don’t” são algumas das músicas que este álbum tem que são muito boas. Ed Sheeran merecia o Grammy, contudo não conheço o trabalho de Beck, para dizer se foi, ou não, merecido, pelas opiniões e críticas que tenho visto, Beck fez um bom disco e foi merecido.

kanye-west-beck-mis-wording

Beck e Kanye West

Canção do Ano

Os nomeados eram:

  • All About that Bass – Meghan Trainor
  • Chandelier – Sia
  • Shake It Off – Taylor Swift
  • Stay With Me – Sam Smith
  • Take Me to the Church – Hozier

Vencedor: Stay With Me – Sam Smith

Bom, sendo os nomeados muito parecidos com a categoria de single do ano, a minha opinião é semelhante. Acho que, para se poder dividir os prémios por artistas (porque em termos de qualidade são muito parecidos) escolheria a música de Taylor Swift. Até porque Sam já tinha ganho, ou viria a ganhar, uma das categorias mais importantes. Vencedor justo, mas seria ainda mais se tivesse ido para Taylor Swift.

Artista Revelação

Os nomeados eram:

  • Bastille
  • Brandy Clark
  • Haim
  • Iggy Azalea
  • Sam Smith

Vencedor: Sam Smith

Bom, este é o terceiro grammy que o britânico Sam Smith venceu, talvez o menos importante dos três, mas ao mesmo tempo o mais merecido. Desta lista de nomeados, para mim apenas os Bastille poderiam fazer frente a Sam Smith, mas o jovem britânico é claramente um justo vencedor.

Melhor Actuação Pop (Solo)Pharrell-Williams-Happy

Os nomeados eram:

  • All of Me – John Legend
  • Chandelier – Sia
  • Happy – Pharrell Williams
  • Shake It Off – Taylor Swift
  • Stay With Me – Sam Smith

Vencedor: Happy – Pharrell Williams

Já sei o que está a pensar, que vou voltar a referir Taylor Swift. Não poderia estar mais……enganado. Sim é verdade, não apostava na cantora de “Shake It Off” para esta categoria. Apostava mais em “All of Me” ou em “Chandelier” como alternativas ao vencedor, mas considero que esta escolha é correcta, sendo “Happy”, de Pharrell Williams, um justo vencedor. Afinal, quem é que não ficava logo a cantar e a bater o pezinho ao ouvir esta música? Eu sei que acompanhava e o/a leitor/a, também?

Melhor Albúm Pop

Os nomeados eram:

  • Bangerz – Miley Cyrus
  • Ghost Stories – Coldplay
  • In The Lonely Hour – Sam Smith
  • Multiply (X) – Ed Sheeran
  • My Everything – Ariana Grande
  • Prism – Katy Perry

Vencedor: In the Lonely Hour – Sam Smith

Ao que parece Sam Smith teve uma noite em cheio, quarto grammys só numa noite é para quem tem de ter qualidade. O jovem britânico superou os outros nomeados e, na minha opinião só Ed Sheeran podia realmente ameaçar Sam Smith nesta categoria. Justo vencedor pelo bom álbum que tem.

57th GRAMMY Awards - Press Room

Sam Smith com os quatro prémios

Melhor Actuação Rock

Os nomeados eram:

  • Blue Moon – Beck
  • Do I Wanna Know – Arctic Monkeys
  • Fever – The Black Keys
  • Gimme Something Good – Ryan Adams
  • Lazaretto – Jack White

Vencedor: Lazaretto – Jack White

Jack White ganha de forma merecida! Conheço bem a música em causa dos Arctic Monkeys e dos Black Keys, dado que sou fã de ambas as bandas, e tive a possibilidade de ouvir ao vivo, as músicas em causa. Devo dizer que são excelentes músicas/canções. A de Beck também é boa, embora não esteja bem no mesmo registo que os restantes nomeados, cujas músicas contêm riffs de guitarra bastante presentes. Ou seja, de facto era uma categoria complicada de tomar uma decisão. Se fosse eu a decidir, acabaria por fazer pender para o lado dos Arctic Monkeys ou dos Black Keys, porque tal como referi sou fã incondicional. Considero que foi uma decisão merecida e Jack White acaba por levar o grammy.

Jack_White_-_Lazaretto

Capa de Lazaretto de Jack White

Melhor Canção Rock

Os nomeados eram:

  • Ain’t It Fun – Paramore
  • Blue Moon – Beck
  • Fever – The Black Keys
  • Gimme Something Good – Ryan Adams
  • Lazaretto – Jack White

Vencedor: Ain’t It Fun – Paramore

Bom, desde já, notar apenas uma alteração nos nomeados, em relação ao grammy para melhor actuação rock. Vamos ao que interessa, este é um grammy em que o que realmente importa, mais do que a música, é a letra. De facto, os Paramore têm uma letra divertida, que junto com a parte instrumental, torna-a entretida. Para mim é a “Fever” que mais me cativa, até porque é a que mais me fica na cabeça.

Melhor Álbum Rock

Os nomeados eram:Beck_Morning_Phase

  • Hypnotic Eye – Tom Petty and the Heartbreakers
  • Morning Phase – Beck
  • Ryan Adams – Ryan Adams
  • Songs of Innocence – U2
  • Turn Blue – The Black Keys

Vencedor: Morning Phase – Beck

A vitória do norte-americano voltou a surpreender. Beck foi o vencedor deste grammy, mas devia ter sido Songs of Innocence dos U2. Embora o álbum tenha saído envolto em polémica, os irlandeses mostraram que ainda são capazes de fazer muito boa música e grandes canções. Além disso, Beck não é, na minha opinião um artista rock. Fazia mais sentido se trocassem Beck por Jack White na categoria que a seguir apresento.

Melhor Álbum Alternativo

Os nomeados eram:

  • Lazaretto – Jack White
  • Melophobia – Cage the Elephant
  • Reflektor – Arcade
  • Vincent – St. Vincent
  • This is All Yours – Alt-J

Vencedor: St. Vincent – St. Vincent

A norte-americana Anne Clark, mais conhecida por St. Vincent, ganhou um grammy na categoria certa, ao contrário do que acontece com Beck, na minha opinião. De facto, St. Vincent tem um bom álbum e já teve capacidade de encantar os portugueses no Vodafone Mexefest do ano passado. Para mim é uma categoria complicada, sou fã dos Alt-J e gostei deste álbum dos Arcade Fire. Acho que entre os três, incluindo aqui a vencedora, mereciam ganhar, por isso prémio merecido.

Melhor Álbum Rap

Os nomeados eram:The_Marshall_Mathers_LP_2

  • Because the Internet – Childish Gambino
  • Blacc Hollywood – Wiz Khalifa
  • Nobody’s Smilling – Common
  • Oxymoron – Schoolboy Q
  • The Marshall Mathers LP2 – Eminem
  • The New Classic – Iggy Azalea

Vencedor: The Marshall Mathers LP2 – Eminem

Eminem volta a ganhar um grammy com um novo disco, desta feita com um álbum que faz referência ao passado no título. Mas as músicas são novas e com grande qualidade. “Monster”, “Rap God”, “Legacy”, “Guts Over Fear” e “Bezerk” são algumas das músicas que compõem este álbum. Exactamente devido às músicas muito conhecidas e com grande sucesso, este é um álbum merecido por parte de Eminem. Na minha opinião só o disco da rapper australiana Iggy Azalea é que podia rivalizar com o do rapper americano.

Melhor Compilação de Banda Sonora

Os nomeados eram:

  • American Hustle – Susan Jacobs e David O. Russell
  • Frozen – Kristen Anderson-Lopez, Robert Lopez, Tom MacDougall e Chris Montan
  • Get On Up: The James Brown History – Peter Afterman e Harry Weinger
  • Guardians of the Galaxy – James Gunn
  • The Wolf of Wall Street – Robie Robertson

Vencedor: Frozen – Kristen Anderson-Lopez, Robert Lopez, Tom MacDougall e Chris Montan

Das cinco bandas sonoras destes cinco filmes, Frozen tem de facto alguma vantagem sobre os seus adversários. Primeiro porque tem uma música icónica que marcou o ano de 2014 e o final de 2013. Depois toda a banda sonora foi muito bem escolhida para integrar este filme.  Acho que foi uma escolha metódica por parte dos produtores e como tal é uma vitória merecida. Contudo, talvez o biopic de James Brown, por ser um filme sobre uma referência da música podia ser o vencedor.

Melhor Canção Escrita para Cinema

Os nomeados eram:idina_menzel__let_it_go

  • Everything is Awesome – Lego Movie
  • I See Fire – Ed Sheeran
  • I’m Not Gonna Miss You – Glenn Campbell, I’ll Be Me
  • Let It Go – Frozen

Vencedor: Let It Go – Frozen

Let it Go, Let it Go/ Can’t hold It back anymore/ let it go, let it go/ Turn away and slam the door/ I don’t care/ What they’re going to say/Let the storm rage on/ The cold never bothered me anyway. Sim, caro leitor optei por começar a análise com o refrão da música vencedora, apenas para mostrar que conquistou miúdos, graúdos e o mundo inteiro. Quantas casas com crianças não viveram o “inferno”, de ter de ver e rever várias vezes o Frozen, não só pela história, mas também, e sobretudo pela música de Idina Menzel, “Let It Go”. Era bastante provável que esta música superasse os restantes nomeados, só pelo facto de o “Let It Go” ter percorrido o mundo inteiro. Por isto tudo, vitória merecida.

Melhor Videoclip

Os nomeados eram:

  • Chandelier – Sia
  • Happy – Pharrell Williams
  • Turn Down for What – DJ Snake e Lil John
  • The Golden Age – Woodkid
  • We Exist – Arcade Fire ft. Max Richter

Vencedor: Happy – Pharrell Williams

Entre estes nomeados apenas dois eram, a meu ver, verdadeiros candidatos. “Chandelier” e Happy são duas boas músicas, com excelentes videoclips. E entre os dois a escolha não era nada, nada fácil. Eu acho que foi bem entregue por todo o trabalho que envolveu filmar em várias cidades e porque é uma música que põe toda a gente a dançar. Contudo, dou os meus parabéns a Maddie Ziegler que tem uma performance magnífica em Chandelier.

Melhor Filme Musical

Os nomeados eram:

  • 20 Feet from Stardom – Darlene Love, Merry Clayton, Lisa Fischer e Judith Hill
  • Beyoncé and Jay-Z: On the Run Tour – Beyoncé and Jay-Z
  • Ghost Stories – Coldplay
  • Metallica Through the Never – Metallica
  • The Truth About Love Tour: Live From Melbourne – Pink

Vencedor: 20 Feet from Stardom – Darlene Love, Merry Clayton, Lisa Fischer e Judith Hill

Não vi 4 destes nomeados, apenas vi o filme dos Metallica recaindo assim a minha escolha sobre a banda de James Hetfield. É um filme muito bom, em que combinam bem a parte da história que querem contar, com as músicas tornadas famosas pelo grupo norte-americano.


Avaliação Global
:
Houve algumas categorias em que os prémios foram mal entregues, contudo no geral foram justos, embora pudessem ter sido entregues a outros artistas. Beck foi um dos vencedores da noite, mas houve pelo menos um prémio em que a sua música não enquadrava na categoria. É estranho que Taylor Swift que estava nomeada para três grammys, não ter ganho nenhum, tendo ela um dos melhores discos do ano, para a maioria das publicações da especialidade. Sam Smith foi outro dos vencedores da noite, tendo ganho 4 prémios em 6 nomeações. Ed Sheeran foi juntamente com Taylor Swift um dos derrotados da noite, não tendo ganho nenhum dos três grammys a que estava nomeado.

GRAMMY

Depois da análise aos grammys, venho falar-vos de outro tema, completamente diferente, mas que também envolve prémios. Está curioso? Pois bem, não é segredo nenhum, afinal faz parte do título. Estou a falar, claro, do Festival da Canção!

portugal_festival_da_cancao_2015

O Festival Eurovisão da Canção faz no próximo ano 60 anos. E o nosso Festival da Canção, mais conhecido por Festival RTP da Canção, celebrou a sua 50ª edição este ano! É verdade, mais uma instituição da televisão portuguesa a celebrar um marco histórico importantíssimo! Ao longo da história do Festival, muitos artistas cantaram e encantaram com as suas mais, ou menos, belas cantigas, com as suas músicas bem construídas, ou menos bem conseguidas, mas o facto é que todas elas fazem parte desta história. Como seria de esperar, um programa tão popular e tão marcante, teve polémicas em alguns anos. Uma dessas polémicas foi recentemente “desenterrada” por Ricardo Araújo Pereira, na Rádio Comercial e gerou até um movimento.

Mas não são (só) as polémicas que irei abordar aqui. Isso poderá ficar para uma eventual crónica no futuro…Nesta crónica irei sobretudo abordar a história deste evento marcante. O Festival da Canção nasceu a 2 de Fevereiro de 1964, em Lisboa, mais concretamente, num estúdio no Lumiar e desde então se tem realizado quase todos os anos. Sim, quase todos, porque embora seja já uma tradição, houve anos em que o festival não se realizou e não houve representantes portugueses na Eurovisão e, houve outros em que embora o festival não se tenha realizado, houve uma canção a representar Portugal.

antonio calvárioAntónio Calvário

Espaço agora para os cantores e para as cantigas que marcaram e ainda marcam o evento. António Calvário – “Oração”, Simone de Oliveira – “Sol de Inverno” e “Desfolhada Portuguesa”, Madalena Iglésias – “Ele e Ela”, Carlos Mendes – “Verão” e “Festa da Vida”, Fernando Tordo – “Tourada”, Paulo de Carvalho – “E Depois do Adeus”, Carlos Paião – “Playback”, Doce – “Bem Bom”, Adelaide Ferreira – “Penso em Ti (Eu Sei)”, José Cid – “Um Grande, Grande Amor”, Dulce Pontes – “Lusitana Paixão”, Sara Tavares – “Chamar a Música”, Lúcia Moniz – “O meu Coração não tem Cor”, todos estes nomes são vencedores do Festival da Canção. Estes são apenas os mais marcantes do evento e alguns destes nomes geraram polémica na sua vitória. Falemos então dessas vitórias polémicas, a começar pelo ícone que é Simone de Oliveira. Em 1969, a canção “Desfolhada Portuguesa” da autoria de Ary dos Santos foi muito criticada pela sua letra. Estávamos ainda no Estado Novo e o verso “quem faz um filho, fá-lo por gosto” cantado a plenos pulmões por Simone de Oliveira iria gerar polémica, pois não era normal à época fazer aquelas afirmações. Mas, já em 1985 a vitória de Adelaide Ferreira gerou alguma polémica, dado que a canção favorita à vitória era “Umbadá” de Jorge Fernando. Outra das polémicas foi mais recente e a que gerou uma revolta tal, que até deu origem a uma petição para mudarem o nosso representante, estou a falar da canção vencedora de 2011. Nesse ano ganhou “A Luta é Alegria” dos Homens da Luta. Muitas pessoas foram contra esta vitória, contudo, acabou mesmo por ser esta a canção que representou o nosso país. Também em 2014 houve alguma polémica, porém foi menor do que a de 2011.

Simone 1969

Simone de Oliveira

Mas houve algumas canções que fizeram história e cujos/as cantores/as não são dos mais marcantes, e nem sempre foram as vencedoras que marcaram. Comecemos pelas que ganharam. Em 1978, ganhou a canção “Dai-li Dai-li Dou” dos Gemini, no ano seguinte foi Manuela Bravo, com a canção “Sobe, Sobe, Balão Sobe”. Em 1983, Armando Gama ganhou com “Esta Balada que te Dou”, três anos depois foi “Não Sejas Mau p’ra Mim” de Dora. Depois em 1989 venceu “Conquistador” dos Da Vinci, seguiu-se “Sempre (Há Sempre Alguém)” de Nucha. Em 1992 venceu “Amor de Água Fresca” de Dina, seguido por “Cidade (Até Ser Dia)” de Anabela. E já em 2008, Vânia Fernandes encantou com “Senhora do Mar”.

Fernando Tordo (RTP)

Fernando Tordo

Porém, tal como disse em cima, houve canções que não ganharam e que ficaram famosas, algumas delas são cantadas hoje por artistas bem conhecidos da nossa praça. Em 1968, o Quarteto 1111 de que fizeram parte José Cid e Tozé Brito, cantavam “Balada para D. Inês”. Em 1971, Fernando Tordo cantava “Cavalo à Solta”. Em 1974, “No Dia em que o Rei fez Anos” dos Green Windows ficava em 3º lugar, mas iria durar até aos dias de hoje. No ano seguinte, José Mário Branco entoaria bem alto “Alerta”, uma música de protesto que é cantada hoje em dia em algumas manifestações. Em 1976, Carlos do Carmo, juntamente com Ary dos Santos, encantava o Festival da Canção com “Estrela da Tarde”. Em 1981, as Doce cantavam “Ali Baba, um Homem das Arábias”. Em 1982, “Trocas e Baldrocas” era interpretado por Cândida Branca Flor. No ano seguinte, Herman José cantava “A Cor do Teu Batom”. Também em 1983 participou Carlos Paião, com o tema “Vinho do Porto/Vinho de Portugal”. Três anos depois, em 1986, Né Ladeiras cantou “Jura”, que conhecemos cantada por Rui Veloso. Em 1988, o sobrinho de José Cid, José Gonçalo celebrizava “Cai Neve em Nova Iorque”.

 

Paulo de Carvalho RTP

Paulo de Carvalho

Vamos agora ao Festival em termos concretos. Embora tenha havido várias canções a representar o nosso país na Eurovisão, nem sempre houve um concurso para eleger ou consagrar a canção que nos iria representar. Houve alguns anos, nomeadamente 2003, 2004 e 2005, em que foi uma comissão a escolher a canção, posteriormente elegida por televoto, noutros anos foi através de um concurso de talentos, a “Operação Triunfo”, em que a canção que representou Portugal foi igualmente escolhida através de televoto.

Por fim algumas ficam algumas curiosidades. Algumas já deve conhecer, como o facto de Portugal nunca ter vencido uma edição, tendo Lúcia Moniz conseguido a melhor prestação com um belo 6º lugar. Mas será que sabia que Portugal é o país que participa há mais anos, sem vencer nenhuma edição? Pois é, segundo um estudo de 2013 realizado pela Universidade Lusófona, Portugal tem de facto esta marca. Mas não desanime, porque conseguimos conquistar nove vezes no top 10 do Festival Eurovisão da Canção, o que até é positivo. Por fim, sabia que Tony Carreira participou no Festival RTP da Canção? É verdade, foi em 1988. E sabia que Nicolau Breyner também concorreu? Foi vinte anos antes, a 1968. Também Toy (1990/91), António Sala (1980/84), Ágata (1982), Emanuel (1991), Trabalhadores do Comércio (1986) e Mónica Ferraz (2000/01) participaram no histórico evento da televisão nacional.

Eurovision

Por este mês é tudo. Espero que tenham gostado.

Até para o mês que vem!

2 Comments

Mais Lidos

loading...
To Top