Desporto

E Agora, Conceição?

loading...

O feito de ser campeão é sempre elogiável, só com grande mérito dum líder alguma equipa termina em primeiro lugar após uma luta com mais de trinta batalhas. E Sérgio Conceição foi o líder que o Porto precisava para acabar este campeonato a celebrar uma vitória que tem tanto de justa, como de brilhante. E brilhante porquê? Porque cada vitória tem uma história, cada história tem um contexto, e é esse contexto que dá maior ou menor brilho a cada conquista.

Ou seja, recuemos à pré-época, recuemos a um Porto em estado de sítio, vindo de quatro anos sem ganhar um único título com relevância, com as contas a condizer com as performances desportivas, e sem perspectivas desta ser uma época diferente das outras quatro.

Este era o contexto. E neste contexto, foi contratado um treinador sem grande currículo, a quem não foram dadas nenhumas prendas para ele impor o seu estilo, ao invés, a este treinador foram dados um grupo de jogadores habituados a perder e outros que não tinham convencido nas suas primeiras épocas ao serviço do clube ao ponto de serem emprestados. Portanto, e apesar dos adeptos esperarem sempre sucessos do seu clube, se havia ano em que o insucesso era algo esperado era este.

Pois bem, neste cenário, Sérgio Conceição pegou nos parcos ovos que teve à sua disposição e fez deles uma equipa unida, forte e vencedora. O espírito desta equipa ficou bem demonstrado nas poucas derrotas obtidas nesta época que agora finda.

Sérgio Conceição fez tudo o que se pedia a um clube de futebol grande em Portugal, valorizou jogadores, valorizou o clube e ganhou. Por isso, e voltamos ao contexto, podemos dizer que esta foi a época de Sérgio Conceição, esta foi a época de fazer o que parecia impossível e acabar nos Aliados a fazer a festa.

Mas, e agora? Agora que o Porto continua intervencionado pela UEFA, agora que parece não existirem Maregas e Ricardos emprestados, agora que a qualidade do plantel irá levar um rombo com as mais que necessárias vendas, o que é que poderá manter Sérgio Conceição no Futebol Clube do Porto?

Sérgio Conceição e Diogo Dalot

Sim, porque o Porto tem que vender, era bom o Porto ficar com este novo Herrera que evoluiu mais num ano com Conceição do que nos vários anos que já leva de azul e branco ao peito, mas o Porto tem que vender, era bom manter um Ricardo Pereira que passou de emprestado a peça vital, mas o Porto tem que vender, era bom a manutenção da inusitada nova estrela da constelação portista de seu nome Marega, mas o Porto tem que vender. Claro que me podem dizer que Conceição pode repetir o feito, pode pegar em Dalot e fazer dele um lateral de classe mundial, pode pegar em Fernando Fonseca e fazer dele uma boa opção para as laterais, pode pegar até nos pouco utilizados Paciência e Oliver e fazer deles peças importantes em novo campeonato. Mas será que Conceição está disposto a isso? Porque este foi um feito de muito complicada repetição.

Na época passada, o passo lógico para a afirmação do treinador português era treinar um grande, mas depois de o treinar, depois de ganhar, será que a sua manutenção é um passo que ele esteja disposto a dar. E o que ganhará ele em se manter no Porto?

Por causa desta questão, acredito que o tempo de Conceição no Porto e em Portugal tenha acabado, mas espero que a realidade me desminta.

1 Comment

Mais Lidos

loading...
To Top