Desporto

Antevisão Euro 2016 – Para a França, com Talento!

loading...

Faltando cerca de 6 meses para o Euro 2016, a maior prova de futebol que envolva seleções europeias, é tempo de arriscar e fazer uma antevisão muito antecipada (e arriscada) da prova que decorrerá em França entre Junho e Julho do ano que vem. Já se sabe qual o sorteio e a formação dos seis grupos da fase inicial do Euro 2016, como tal, podemos tentar antecipar o que irá acontecer quando as principais seleções europeias se defrontarem nas arenas francesas.

A primeira coisa a ter em conta antes de analisarmos os grupos é que este campeonato da Europa será diferente de todos aqueles realizados até aqui. Em primeiro lugar, é o primeiro destes torneios alargado a 24 equipas, facto que contribuiu para surpresas na qualificação, nomeadamente, a eliminação da crónica participante Holanda e as qualificações de seleções menos cotadas como País de Gales, Islândia, Albânia ou Irlanda do Norte. Em segundo lugar, como consequência do primeiro, será a primeira vez que alguns dos terceiros qualificados na fase de grupos (os 4 melhores) poderão passar aos oitavos-de-final. Terceiro, o Euro 2016 tem a aliciante de a Espanha se poder tornar tri-campeã europeia (tem equipa para isso) o que seria verdadeiramente histórico. Quarto, alguns jogadores irão ter (muito provavelmente) a última oportunidade de brilharem pelo seu país. São os casos do sueco Zlatan Ibrahimovic e dos já muito galardoados espanhóis Iniesta ou Casillas. Já outros terão a oportunidade de se estrear nos grandes palcos ao serviço da sua seleção, como o galês Gareth Bale.

Karim Benzema é um dos jogadores em destaque, principalmente pela polémica que o pode afastar do Euro 2016

Karim Benzema é um dos jogadores em destaque, principalmente pela polémica que o pode afastar do Euro 2016

A prova irá arrancar a dia 10 de Junho com os jogos do Grupo A. Este grupo é composto pela anfitriã e forte candidata à vitória final França, pela Roménia, pela Albânia e pela Suíça. Os primeiros têm uma excelente geração de jogadores e a jogar em casa dificilmente não serão apurados em primeiro lugar neste grupo. O sorteio foi-lhes simpático e ainda por cima têm uma equipa deveras talentosa com ou sem Benzema (recentemente suspenso pela Federação Francesa de Futebol). Penso que a Albânia (equipa que fez a qualificação no grupo de Portugal) é a equipa que reúne menos argumentos para passar, mas em futebol nunca se sabe o que pode acontecer. Creio, contudo, que Roménia e Suíça se vão gladiar pelo segundo lugar do grupo. Se tivesse de apostar, a minha escolha recairia na equipa suíça. Com Shaqiri, Inler e companhia podem sempre ambicionar a fazer uma campanha interessante. Interessante também será ver o reencontro com a França. No ano passado, no Mundial do Brasil, encontraram-se na fase de grupos e a França venceu por uns expressivos 5-2. O reencontro poderá ser um ajuste de contas.

A sorte do sorteio ditou que Inglaterra, Rússia, País de Gales e Eslováquia se irão defrontar no Grupo B do Euro 2016. Os ingleses fizeram uma qualificação imaculada (venceram todos os jogos) e deverão continuar em prova após o final da fase de grupos. O duelo entre ingleses e galeses será interessante por serem duas seleções da Grã-Bretanha (quase totalmente representada, faltando apenas a Escócia) e por ambas praticarem um futebol relativamente parecido. O País de Gales nunca antes tinha conseguido qualificar-se para um europeu de futebol (apenas uma vez para o Mundial) e será curioso ver como será a sua participação. As esperanças dos galeses estão depositadas, sobretudo, em Aaron Ramsey e em Gareth Bale. A Eslováquia chega ao Europeu após uma excelente fase de qualificação, apurando-se em segundo lugar no Grupo da Espanha. A experiência do central Martin Skrtel e do médio Marek Hamsik serão cruciais para as ambições dos eslovacos. Mais a Leste, a seleção russa, terá uma palavra a dizer nas contas da qualificação. Já no apuramento conseguiu um segundo lugar (atrás da Áustria) e, tardando em fazer uma renovação na sua equipa, é uma das equipas com jogadores mais experientes e com média de idades mais alta, na fase de qualificação. Mas, verdade seja dita, não é das equipas mais talentosas a marcar presença em França. A minha aposta vai para o apuramento da Inglaterra e também da Eslováquia.

No terceiro grupo do Euro 2016, o Grupo C, está um peso pesado da História do futebol Mundial, a Mannschaft. Os alemães, campeões mundiais em título são o grande candidato à vitória no europeu e claro está, a qualificarem-se em primeiríssimo lugar no Grupo C. A fazer-lhe companhia estará a Ucrânia (qualificada no Play-off), a Polónia (que fez o apuramento no mesmo grupo que a Alemanha) e uma das grandes surpresas da qualificação, a Irlanda do Norte. Esta última deverá ser a equipa com menos argumentos de toda a competição mas, o que é certo, é que os 21 pontos alcançados no Grupo F, lhe deram o primeiro posto. A Polónia volta a enfrentar equipa que ficou à sua frente no apuramento por apenas um ponto e o duelo com os alemães promete, não só pela história extra-futebol entre os dois países, como pela qualidade crescente do conjunto polaco que tem no seu ponta-de-lança, Robert Lewandowski, a sua grande arma. Por falar em individualidades que consistem na principal arma da equipa, Andriy Yarmolenko é o grande nome da equipa da ucraniana, tendo sido o seu principal marcador na qualificação, contabilizando seis remates certeiros. O jogador que actua pelo Sevilla pode muito bem ser uma das revelações (ou será antes confirmação plena?) do torneio. Pelo menos deverá ser fundamental na luta da Ucrânia pelo 2º lugar do grupo juntamente com a Polónia. Só uma grande calamidade afastará a Alemanha do primeiro lugar e só um milagre salvará a Irlanda do Norte do último.

O guardião do F.C. Porto, Casillas, terá no Euro 2016 possivelmente a última oportunidade de brilhar ao mais alto nível na Seleção Espanhola

O guardião do F.C. Porto, Casillas, terá no Euro 2016 possivelmente a última oportunidade de brilhar ao mais alto nível na Seleção Espanhola

Chegando ao grupo D e a um dos mais equilibrados do Euro 2016, temos a bicampeã em título, a Espanha, a República Checa, a Turquia e a Croácia. Um grupo com um favorito claro, a Espanha, mas que é uma incógnita nas restantes posições. Todas as equipas têm fortes argumentos e anteveem-se grandes confrontos. Na Croácia há muito talento e também vontade de limpar a imagem deixada no último Mundial. Com Módric, Rakitic e Manduzkic há argumentos do lado croata para dar luta em qualquer jogo. Uma Turquia, bem liderada por Arda Turan, acompanhado de Burak Yilmaz e Hakan Çalhanoglu também não deverá fazer má figura. Já a República Checa, longe de ter uma equipa da valia de outros tempos (saudades da geração que reunia Nedved, Rosicky, Cech, Koller, Jankulovski e Baros) tem no colectivo a sua grande arma e foi através dele que terminou o seu grupo de qualificação em primeiro lugar, à frente da Islândia e da Turquia e empurrando a Holanda para fora do torneio mesmo antes de este começar. O jogo contra a Turquia será o tira-teimas, dado que cada uma das seleções venceu um dos duelos na qualificação. Curiosamente, ambas venceram no reduto do adversário. Será engraçado ver quem leva a melhor em campo neutro. Penso que a Espanha de Iniesta, David Silva, Sérgio Ramos, Casillas e companhia deverá passar e continuar a ser uma fortíssima candidata à vitória final e como tal deverá assumir a liderança do grupo. Depois penso que a Turquia e a Croácia, por intermédio das suas individualidades podem passar. Num grupo tão disputado poderá ser difícil apurar-se aqui, algum dos quatro melhores terceiros classificados.

A passagem no grupo E promete ser, também ela, muito disputada ou não fosse este composto por Bélgica, Itália, República da Irlanda e Suécia. Talvez este grupo até seja mais equilibrado que o anterior, uma vez que não há uma candidata tão forte como a Espanha. A Bélgica tem uma belíssima seleção ao seu dispor, cheia de talento e de jogadores rodados nas principais ligas europeias (sobretudo na Barclays Premier League) e isso é um ponto a seu favor. A verdade é que também o era no Mundial e a caminhada não foi longa. Com Hazard, De Bruyne, Kompany ou Lukaku pode ambicionar-se a grande feitos e os belgas sabem perfeitamente disso. A Itália é, à semelhança dos últimos anos, uma incógnita. Prova-nos constantemente que não pode ser menosprezada, por mais que os nomes não sejam tão sonantes como outrora e por mais nivelado por baixo que o seu campeonato nacional esteja. Quando menos se dá pelos italianos, mais nos surpreendem. Esta é uma lição que nos dão há anos no futebol. A República da Irlanda é a equipa deste grupo que pratica o futebol menos ortodoxo e é, certamente aquela que mais luta em campo. Não tendo tantos argumentos futebolísticos como os demais, promete dar luta nas três partidas para um apuramento histórico. Será engraçado ver o veterano Robbie Keane jogar no Euro 2016 a sua última grande competição prestes a completar 36 anos de idade. Quem também chega já veterano a esta competição é o craque Zlatan Ibrahimovic, que tem neste europeu a sua derradeira oportunidade de brilhar pela Suécia numa competição internacional. Penso que pelo talento e pelo misto de juventude com experiência a Bélgica deverá qualificar-se e depois penso que a Itália pela sua matreirice também o conseguirá fazer.

Euro 2016

Cristiano Ronaldo será a figura maior da Seleção Portuguesa no Euro 2016

Quem tem obrigatoriamente de passar no grupo em que está inserido é Portugal. O grupo F juntou à seleção nacional, a Islândia, a Áustria e a Hungria. Portugal não pratica propriamente o melhor futebol do mundo (e viu-se na qualificação), mas a verdade é que o elenco liderado por Fernando Santos e capitaneado por Cristiano Ronaldo, é claramente superior aos demais do seu grupo. Ter o melhor jogador do mundo (pelo menos até Janeiro) é meio caminho andado para se ganhar qualquer jogo e ter ainda jogadores como Moutinho, Nani, Pepe e Coentrão já experientes nestas andanças, ao que se junta talentos emergentes como Bernardo Silva ou Ruben Neves, são argumentos a favor da nossa seleção. Pela frente a equipa das quinas vai enfrentar a equipa do melhor lateral esquerdo do mundo, a Áustria de David Alaba, que fez uma grande campanha até aqui (28 pontos em 30 possíveis) e que promete ser o adversário mais complicado de ultrapassar. A Islândia de Sigurosson e Hungria de Dzsudzsak serão (na teoria) os alvos mais fáceis. No entanto, todo o cuidado é pouco.

Para Cristiano Ronaldo o Europeu pode ser uma faca de dois gumes. Se por um lado pode brilhar no Euro 2016 sem ter a concorrência dos sul-americanos Messi, Suarez e Neymar e ganhar avanço na luta pelos prémios individuais, por outro, dado que o resto da seleção nacional não tem (nem de perto) o seu nível, poderá impedi-lo de chegar longe na competição e consequentemente, ser um ponto contra sina luta por esses prémios. Para já, o sorteio é-lhe favorável. Resta saber se Portugal cumpre com as suas obrigações e como será o sorteio no “mata-mata”.

Para resumir, penso que existem três candidatos demarcados dos restantes: A Alemanha (Campeã do Mundo), a Espanha (Bicampeã Europeia) e a França (Anfitriã) são as seleções que, na minha modesta opinião, reúnem mais argumentos para levantarem o troféu. A primeira e a terceira têm grupos acessíveis e a Espanha, mesmo com um grupo mais competitivo deverá passar sem grandes dificuldades. Havendo pela primeira vez na história do torneio a possibilidade de alguns dos terceiros lugares passarem (consequência do alargamento a 24 equipas) há também a possibilidade das maiores equipas estarem “admitidas” a escorregar e mesmo assim não ficarem logo pelo caminho e redimirem-se mais tarde. Por outro lado, havendo grupos onde os candidatos não são tão fortes, também existe a possibilidade deste Euro 2016 nos reservar surpresas através dos terceiros melhores classificados.

Este campeonato tem tudo para ser uma prova cheia de grandes momentos, de jogos bem disputados e de grande espectáculo. A maioria das estrelas europeias estará presente se até lá não houverem aquelas listas intermináveis de lesões ou suspensões que afastem craques dos relvados franceses. O europeu será o palco para novos jovens se afirmarem e para mais veteranos se despedirem em beleza. O grande ausente do Euro 2016 é Arjen Robben, ele e os restantes craques da Laranja Mecânica que não foram além do quarto lugar no seu grupo durante o apuramento. É de estranhar (e lamentar) que no primeiro alargamento do torneio, um dos presentes crónicos tenha falhado a sua presença, sobretudo tendo sido semifinalista no último Mundial.

A ausência de uns é a oportunidade de outros. É assim na vida e também no desporto-rei. Talento não irá faltar e eu mal posso esperar pelo próximo mês de Junho! E o caro leitor? Está entusiasmado com o Euro 2016? O que acha do grupo onde Portugal está inserido? Quem acha que poderá ser a grande surpresa da prova?

Dê-nos a sua opinião na caixa de comentários abaixo!

1 Comment

Mais Lidos

loading...
To Top