Entretenimento

As 10 Melhores Músicas Portuguesas de 2017

loading...

Ora já chegamos a 2018, não é verdade? Como não poderia deixar de ser, aqui no Ideias e Opiniões gostamos de fazer balanços do ano na música, seja de álbuns, seja de músicas. Como tal, apresento aqui aos/às caros/as leitores/as um top 10 das melhores músicas portuguesas do ano.

Carolina Deslandes – A Vida Toda

Se o/a caro/a leitor/a costuma ouvir rádio, de certeza que já ouviu esta música melódica em homenagem tanto ao seu filho, como ao seu marido, por parte de Carolina Deslandes. É sem dúvida uma das músicas portuguesas que marcou o ano. Não só por não parar de dar na rádio, mas pelo fenómeno que foi e pela reacção que provocou em quem ouvia e em quem viu o videoclip da música.

Eu que nem sou muito apreciador deste estilo de música, fiquei bastante impressionado. No entanto, apenas considero que em vez de uma guitarra, se esta música fosse acompanhada ao piano ficava ainda melhor.

Slow J – Vida Boa

Slow J teve um ano simplesmente excelente. O seu álbum The Art of Slowing Down está em destaque na maior parte dos tops de álbuns feito por meios de comunicação prestigiados, e o Ideias e Opiniões não é excepção. Apesar do single ter sido lançado o ano passado, como é possível ver através da data em que foi publicado o vídeo no Youtube, esta música ganhou um maior destaque dentro do conjunto que é este álbum.

Vida Boa é uma música que dispõe bem, com uma letra simples, mas com bastante sentido, e que é a afirmação daquilo que todos nós pensamos. “Não quero uma boa vida, eu quero uma vida boa” – É muito isto!

 

Virgul – Só Eu Sei

Estive até bem perto do fim do ano, indeciso, por qual dos singles de Virgul escolher como música do ano. Era impossível deixar um intérprete como Virgul de fora, quando as suas músicas marcaram o ano. Basta ver que não deixaram de passar na rádio, nas discotecas e nos alinhamentos dos DJ’s nacionais.

“Só Eu Sei” tem um ritmo contagiante e que deixa toda a gente a imitar o Virgul no videoclip, ou até a fazer os seus próprios passos de dança. Faz parte do álbum lançado este ano Saber Aceitar, que está cheio de bons singles. Para quem gosta de uma música pop mais dançável, é um álbum a ter em conta.

HMB – Não Me Leves a Mal

Um top 10 de músicas portuguesas do ano e não ter uma presença dos HMB é quase crime. Sobretudo quando fazem música com tanta qualidade. Este é um desses exemplos, “Não Me Leves a Mal” tem um ritmo simplesmente incrível. É impossível ouvir e não deixarmos de lado o que os outros pensam, soltar todos os passos de dança que sabemos e sentir o flow e o ritmo que a música nos passa.

+ (Mais) é um álbum dos HMB que tem músicas tão distintas como esta e “Peito”, que já foi uma das minhas sugestões do mês, numa das minhas crónicas anteriores. Estarão em cima do palco do Campo Pequeno no dia 24 de Fevereiro a celebrar com o público lisboeta e não só, a sua primeira década cheia de qualidade e músicas para dar e vender. Um concerto destes rapazes é coisa para compensar a quantidade de doces e de comida que foi ingerida neste natal, por isso, se calhar em vez de se ir ao ginásio, vá antes dançar, com Héber Marques e companhia.

Piruka – Se eu Não Acordar Amanhã

Voltamos ao Hip Hop português, com um dos artistas mais promissores desta geração. Piruka fez sucesso nas rádios e não só, sobretudo com as músicas saídas do álbum lançado em 2017, A Clara. Um álbum pensado, com mensagens especificas nas suas músicas para a sua filha. “Se Eu Não Acordar Amanhã”, é o maior exemplo disso, já que é nesta música que conta parte da sua história e fala muito sobre a sua filha, Clara.

Valete – Rap Consciente

Mantemo-nos no Hip Hop português, com o regressado e único Valete. Ele que não fazia música, sem ser em colaborações. Este foi um regresso em grande, como seria de esperar e como queríamos. “Rap Consciente” foi a forma como Valete encontrou de falar sobre si e dos seus anos menos bons, e de vir criticar aquilo em que se tornou o Hip Hop português e do porquê teve de voltar, sobretudo com uma música destas.

Valete sempre se pautou por letras muito contestatárias e críticas, quer fosse da sociedade, quer fosse da música. E não há melhor exemplo disso mesmo, do que esta música.

Mishlawi – Ignore

Acho que já é perceptível que eu sou fã de hip hop português. De facto, este estilo músical é dos meus preferidos, e o estilo músical mais destacado nesta lista. Mishlawi é um rapper com pouca projecção para o talento que tem. De facto, eu só conheci este intérprete/artista em 2016, quando estive fora do país, no entanto, continuei atento e desde que voltei, notei que se tornou mais “famoso”. Afinal de contas, subiu ao palco de um dos festivais com maior história em Portugal, o Sudoeste.

“Ignore” é um dos singles lançados em 2017 e para mim é uma das melhores músicas de Mishlawi.

Língua Franca – Ela

 

O projecto luso-brasileiro, Língua Franca, composto por Capicua, Emicida, Rael e Valete surgiu como algo que não é muito habitual no panorama português do hip-hop, no entanto, é algo de saudar e de pedir mais.

“Ela” é uma música simples, mas que combina as 4 vozes dos rappers numa só música. Algo que podia ser estranho e confuso torna-se algo normal, precisamente pela simplicidade do ritmo (ou batida, como lhe quiserem chamar) e pela simplicidade da letra.

 

 

Miguel Araújo – 1987 (com Catarina Salinas)

Miguel Araújo já é habitue nas minhas crónicas, aliás basta ver que já fiz uma reportagem de um dos vários concertos que deu no Coliseu, com a companhia de António Zambujo, naquela que é para mim a melhor bromance da música portuguesa.

O autor de “Maridos das Outras” lançou Giesta, o ano passado, e como de costume as suas músicas contam histórias bastante interessantes para serem cantadas. “1987” é mais um desses exemplos, que aborda vários aspectos dessa altura em que o músico português era novito. Para os portistas esta é uma música em ter em conta já que fala do mítico golo de calcanhar de Madjer, na final da Taça Intercontinental.

Salvador Sobral – Amar pelos Dois

Um top das músicas portuguesas do ano, sem ter uma das músicas que marcou o ano, não era uma lista decente, nem a ter em conta. Não o digo, porque eu o fiz, ou porque me fica bem dizer já que o incluo na minha lista, digo-o sim, porque é um facto e a vitória na Eurovisão foi um dos acontecimentos marcantes do ano que acabou há poucos dias.

A vitória de Salvador e a música que a sua irmã escreveu para ele interpretar no Festival da Canção, foi absolutamente mágica. “Amar Pelos Dois” faz furor pelo Mundo fora e não é para menos, afinal de contas ganhou um dos eventos mais vistos em todo o Mundo.

 

Espero que tenham um ano muito bom e que não se esqueçam de cantar e dançar ao som das vossas músicas preferidas.

Até para o mês que vem.

Click to comment

Mais Lidos

loading...
To Top